Prepare-se porque esse momento pode chegar ainda durante a entrevista de emprego. Se quer ser bem-sucedido tem que saber quando e como negociar o salário numa entrevista. Para o ajudar aqui ficam algumas dicas.

1. Pesquise os valores praticados no mercado
Desengane-se, ainda que se fale em negociação os recrutadores já têm um valor em mente. Portanto, o segredo aqui é estar informado sobre os valores salariais praticados – tanto o valor mais baixo como o mais alto – na sua área profissional. Não basta lançar valores ao ar, convém que eles sejam adequados às funções a desempenhar ou cargo a ocupar e à sua experiência profissional. Desta forma vai não só ter um ponto de partida para iniciar a sua negociação, mas vai poder estabelecer alguns critérios de comparação (entre os salários do mercado laboral e o que lhe está a ser oferecido) para perceber se a proposta lhe interessa ou não

2. Não puxe o assunto
Às vezes mais vale estar calado a falar demais. O assunto salário deve ser lançado pelo recrutador e nunca pelo candidato. Até porque o tema só vem “à baila” se o recrutador estiver mesmo interessado em contratá-lo. Falar sobre o assunto antes do tempo não vai ser positivo para si, por isso espere que seja o recrutador/entrevistador a puxar o assunto.

3. Cuidado com os números
Um truque: também aqui deixe que seja o recrutador a fazer a primeira proposta. Porquê? Simples. Na excitação do momento pode cair a maior de todas as armadilhas deste processo. Se indicar um valor superior ao que o recrutador tinha em mente o mais certo é não ser selecionado; mas se, pelo contrário, for muito baixo, o recrutador fica em vantagem e poupa alguns (ou muitos) euros. Ou seja, em qualquer dos casos quem perde é o candidato, a não ser que saiba jogar este jogo. Seja astuto e contorne a questão até que seja o entrevistador a avançar com uma proposta. A partir daí já fica mais fácil perceber até onde pode ir ou não e qual a margem de negociação possível.

4. Considere os possíveis benefícios
Subsídios de alimentação, transporte, ajudas de custo, prémios de produtividade, férias, serviços de apoio (como creches para os filhos pequenos), etc. Tudo isso conta. À primeira vista até lhe pode parecer um salário mais baixo, mas no fim estas “ajudas” vão fazer toda a diferença.

5. Apresente a sua contraproposta
Uma negociação é mesmo assim. Ambas as partes podem “lançar os dados”. Pense desta forma, se lhe fizeram uma proposta salarial isso significa que (pelo menos à partida) estão interessados em contratá-lo. Portanto, se a proposta não é viável para si, não perca a oportunidade de apresentar a sua contraproposta. Use a sua pesquisa, o seu Curriculum Vitae, a sua experiência profissional e as suas competências para justificar os valores apontados. Se tiver bons argumentos, quem sabe se não consegue uma proposta melhor.

6. Não aceite de imediato
Se está a ser entrevistado obviamente está interessada na posição e, certamente, ansioso por iniciar funções, mas vá com calma. Se já conhece a proposta e tem uma descrição das funções/do cargo ótimo. Agradeça e peça algum tempo para analisar a proposta e tomar uma decisão. Decisões precipitadas não boas para ninguém. Debruce-se sobre os dados que tem na sua posse para tomar a melhor decisão para si.

http://www.e-konomista.pt/

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.