Muitas vezes, as oportunidades de poupança estão nos pequenos gestos do dia a dia: reduzir as refeições fora, preferir os transportes públicos ou optar por produtos de marca branca. E o mesmo se aplica aos amiguinhos de quatro patas.

A verdade é que é possível economizar nos gastos com os animais, sem, obviamente, prejudicar a sua alimentação e saúde. E como? Ora veja estas cinco maneiras:

1. Procure um seguro à medida do seu animal

Pode parecer contraditório falar em poupança e depois recomendar a subscrição de um seguro. Mas na realidade, o seguro para animais poderá ajudá-lo a poupar em consultas no veterinário. Além disso, o seguro é uma medida de prevenção: funciona como um investimento a longo prazo, numa eventualidade de ter que lidar com emergências ou doenças inesperadas.

A maioria das seguradoras já comercializa seguros completos para animais de estimação, por isso, informe-se, compare ofertas e escolha aquele que melhor se ajusta às suas necessidades.

2. Reduza as despesas com o veterinário

Não há dúvida de que esta pode ser a maior fonte de despesa com o seu fiel amigo, uma vez que as consultas e os tratamentos veterinários podem ser realmente caros, daí a importância da prevenção.

Mantenha as vacinas em dia e informe-se sobre os tipos de complicações que podem surgir ao nível da saúde do seu animal. Se souber de antemão, poderá antecipar-se, reconhecendo o problema desde o primeiro momento.

Em termos de consultas, uma dica é não saltitar entre clínicas veterinárias. Num primeiro momento, pesquise por aquela que oferece melhores condições na sua zona de residência (hospitais ligados a faculdades de medicina veterinária são sempre escolhas mais económicas) e, depois, procure ir sempre à mesma.

Criar uma boa relação com o veterinário do seu animal é fundamental, já que lhe permitirá, por exemplo, tirar dúvidas por telefone, evitando pagar consultas desnecessárias. Além disso, este poderá recomendar-lhe tratamentos mais em conta, informá-lo sobre promoções ou permitir-lhe alguma facilidade em relação às formas de pagamento.

Existem também campanhas de vacinação gratuitas promovidas quer por juntas de freguesia, quer por associações e abrigos de animais. Esteja atento e aproveite estas oportunidades para reduzir nas despesas.

Se residir em Lisboa, saiba, por exemplo, que ser sócio da União Zoófila traz acesso a consultas com um valor mais reduzido.

3. Procure uma alimentação adequada

Dentro das despesas que pode reduzir com o seu animal de estimação encontra-se a alimentação. O tipo de comida que dá ao seu amigo de quatro patas tem impacto na sua saúde, por isso, é importante que saiba qual é o alimento mais adequado para ele.

Pesquise não só na Internet, como também em lojas físicas, para encontrar o preço mais vantajoso. Da mesma forma que consulta folhetos e campanhas de supermercados para as suas compras do dia a dia, faça o mesmo em relação à comida do seu animal. Muitas vezes compensa comprar mais quantidade, desde que os prazos de validade sejam extensos.

E o mesmo se aplica a suplementos que o animal possa, eventualmente, precisar, devido a alguma necessidade especial. Provavelmente fica mais económico encomendar online do que adquiri-los nas lojas físicas.

4. Tenha atenção ao excesso de acessórios

Há uma tendência para estar constantemente a comprar novos brinquedos, trelas, camas, mantas, etc. Nesse sentido, tente, em primeiro lugar, perceber com que tipo de objetos o seu animal de estimação mais gosta de brincar, para que possa evitar comprar brinquedos que depois não vão ser usados.

Outra forma de poupar, pode passar por recorrer ao Do it Yourself (ou faça você mesmo, em português). Com alguma paciência, conseguirá fazer brinquedos personalizados e muito mais vantajosos financeiramente. Se precisar de ajuda, pode sempre recorrer aos vários tutoriais existentes na Internet.

De facto, no que diz respeito aos brinquedos, muitas vezes soluções simples são mais do que suficientes, como é o caso de bolas ou dos novelos de lã.

5. Deduza as despesas no IRS

Atualmente também é possível deduzir os gastos veterinários no IRS, abatendo 15% do IVA das faturas apresentadas. Estas deduções abrangem atividades veterinárias com e sem internamento, diagnóstico e transporte de animais doentes. Portanto, já sabe, sempre que o seu amigo de quatro patas precisar de cuidados veterinários, peça fatura.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.