1. Pagar as contas a tempo

O atraso no pagamento de contas costuma ter associado um conjunto de penalizações. Os bancos cobram comissões diversas, sendo as mais penalizadoras as comissões de atraso, às quais se acrescem juros de mora e outras. Já as empresas de telecomunicações ou eletricidade cobram penalizações por atraso ou mesmo pelo corte e religação do serviço. Uma estratégia pode passar pelo pagamento das faturas quando as receber, evitando assim esquecimentos.

2. Manter um sistema de débitos diretos

Uma boa forma de evitar esquecimentos no pagamento das suas dívidas passa pela cobrança por débito direto. Se existe o risco de vir a pagar valores superiores devido a penalizações, isto acaba por ser mitigado pela vantagem de não ter atrasos nos pagamentos. De notar que todos os débitos bancários podem ser revertidos imediatamente num prazo de 60 dias.

3. Dívidas só mesmo se for preciso

É interessante perceber que muitas pessoas têm dívidas apesar de terem capital disponível para as liquidar. Este hábito costuma ser bastante dispendioso e acaba por ser irracional. Assim, a sugestão passa por acabar com as dívidas que não são essenciais. Por exemplo, deve perceber se tem dívidas de cartão de crédito ou dívidas de descobertos autorizados que possam ser eliminadas o mais rapidamente possível.

4. Acabe com os créditos conta corrente

O cartão de crédito e os créditos em linha são verdadeiros cancros financeiros. Sim, quando bem usados podem ser úteis mas tipicamente são mal utilizados. Assim, a nossa sugestão passa por acabar com os chamados "créditos fáceis". De notar que as dívidas de cartão de crédito são um dos principais motivos de descontrolo financeiro. Uma boa solução passa por, por exemplo, consolidar os seus créditos ou transformar estas dívidas num crédito pessoal (com taxa mais baixa e garantia de amortização do crédito).

5. Peça ao banco para baixar as taxas de juro

Aqui entramos no campo da negociação. É possível poupar dinheiro em juros pedindo ao banco para baixar a taxa de juro que nos é cobrada em determinado crédito. O não está sempre garantido mas, na maioria das vezes e considerando a atual situação de mercado, é possível ter uma poupança adicional por esta via. Vemos isso com o crédito habitação, com o crédito automóvel ou mesmo com cartões de crédito contratados há vários anos.

As dívidas são prisões das quais temos de nos libertar o quanto antes. Infelizmente, são fruto de grande desconforto e descontrolo financeiro, o que nos obriga a fazer uso da nossa inteligência financeira para controlar os danos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.