Incomodar as pessoas em viagem
Haverá alguma coisa pior do que ter que fazer uma longa viagem de comboio, de autocarro ou avião e a pessoa que está à sua frente resolver ir a viagem toda com o banco reclinado para cima de si? Claro que se os bancos dão para reclinar, os outros passageiros podem fazê-lo. Mas tal como mandam as regras de boa educação, o mínimo que se deve fazer é pedir licença e ver se o seu conforto incomoda (ou não) o bem-estar dos outros.

Ter curiosidade excessiva
Imagine o seguinte cenário: está no seu local de trabalho a terminar um relatório no computador quando de repente verifica que o seu chefe está atrás de si a bisbilhotar aquilo que está a fazer. Apesar de ter legitimidade para o fazer, a verdade é que ter alguém a avaliar o nosso trabalho de forma desprevenida acaba por nos colocar numa posição bastante incómoda e desconfortável.

Falar alto no cinema
Acho que todos já passámos por uma situação destas. Vamos ao cinema em busca de um momento de diversão e em vez de desfrutarmos do filme passamos 1h30m a ouvir uma pessoa a relatar todos os detalhes da história ao colega do lado.

Não respeitar o espaço dos outros
Outra das coisas mais irritantes que nos podem acontecer no dia-a-dia é darmos de cara com os chamados ‘colas’ que não sabem respeitar o espaço dos outros. Imagine o que é estar numa fila de supermercado e ter o azar de encontrar aquele tipo de pessoa que apesar de ter imenso espaço à sua volta prefere colocar-se mesmo junto a si enquanto aguarda pela sua vez.

Não saber ouvir
Uma das coisas mais irritantes que alguém nos pode fazer quando estamos a conversar entre amigos é não nos deixarem falar e estarem constantemente a interromper o nosso raciocínio. Claro que todas as pessoas têm direito ao seu tempo de antena, mas também há que aprender a ser um bom ouvinte e aguardar pela sua vez. Pode sempre dizer, de forma educada: “Eu ainda não acabei.”

Dar nas vistas
Era capaz de chegar na casa de um convidado e bater com a porta de entrada só para que os outros olhassem para si? Provavelmente vai responder que não, mas a verdade é que há muitas pessoas que adoram dar nas vistas e fazer com que a sua presença seja notada. O mesmo se aplica aquele amigo que apesar de estar num ambiente de festa não quer por nada estar ali e faz questão que toda a gente o saiba.

Pessoas com a mania
Sabe o típico sabichão que acha que sabe tudo e cujo hobbie preferido é exibir o seu conhecimento e inteligência junto dos outros? E que à primeira coisa que lhe diga ele só sabe responder: ‘Eu já sabia”? Este é capaz de ser o tipo de pessoa mais irritante à face da terra.

Dependência excessiva das tecnologias
Imagine o que é estar num encontro romântico com alguém e o seu ‘date’ passar o tempo todo agarrado ao telemóvel ignorando por completo a sua presença. Infelizmente este é um cenário bastante comum nos dias que correm levando a que muitas pessoas negligenciem as relações que têm com a família, os amigos e respetivos parceiros.

Rir da desgraça alheia
Costuma-se dizer que nós devemos ser os primeiros a saber rir de nós próprios. Mas a verdade é que há pessoas que adoram fazer pouco da desgraça alheia até mesmo em situações desagradáveis, o que acaba por incomodar e irritar os outros.

Olhar fixamente para as outras pessoas
Um olhar pode significar muita coisa. Mas ter um desconhecido a olhar para nós fixamente sem motivo aparente, é capaz de ser das coisas mais intimidantes e desconfortáveis que alguém tem de suportar no seu dia-a-dia.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.