Por mais cuidadosos que sejamos, os acidentes domésticos são (demasiado) comuns e, quanto mais tempo passamos em casa, maiores as probabilidades de eles acontecerem. Como reagir? Esqueça, por exemplo, a ideia de que a manteiga é adequada ao tratamento das queimaduras. As mezinhas usadas antigamente e outras crenças dão lugar a cuidados que deve seguir. Se tem crianças pequenas em casa, não se limite a proibi-las de fazerem determinadas coisas.

Procure, antes, ensiná-las e alertá-las para os riscos que certos atos envolvem. "Mesmo quando as crianças são pequenas e a explicação requer muita paciência. E, sobretudo, dê o exemplo, as crianças imitam os adultos", explica Ana Paula Cândido, médica de medicina geral e familiar. Apesar das boas intenções, todos, sem exceção, corremos riscos. Não apenas as crianças. Por isso, analisámos as situações mais comuns e dizemos-lhe o que é certo e errado.

Choques elétricos

Um acidente com eletricidade pode ser perigoso, sobretudo se suceder com crianças. A primeira atitude a tomar é retirar a ficha da tomada. Se não puder alcançar a tomada, desligue o quadro. "Não utilize o interruptor do eletrodoméstico, pois a causa do acidente pode ter sido uma avaria do próprio interruptor", alerta a especialista.

Na impossibilidade de cortar a energia, coloque material isolante debaixo dos pés. "Use uma espessa camada de jornais, por exemplo. Afaste, depois, da fonte de energia os membros da pessoa com o cabo da vassoura ou uma cadeira de madeira", recomenda. Não toque na vítima com as mãos nem utilize objetos húmidos ou metálicos.

Febres

O termómetro voltou a apresentar uma temperatura corporal superior a 40º C e não há meio do valor baixar? Quando a febre é muito alta e não cede ao efeito de medicamentos antipiréticos, como o paracetamol, nas doses recomendadas, pode tomar um banho com água tépida para arrefecer a temperatura corporal. Tépida, não fria, para evitar o risco de choque térmico. Deverá também ingerir bastantes líquidos nesta fase, para o organismo não desidratar.

Cortes

Também neste acidente em particular, a água é uma boa solução. Para cortes em geral, "deverá lavar o local com água corrente e comprimir com um pano limpo, de forma a parar a hemorragia", salienta Ana Paula Cândido. No caso de uma ferida pequena, poderá desinfetar com uma compressa embebida em solução iodada e cobrir com um pequeno penso.

"Nunca utilize álcool nem algodão, uma vez que o álcool danifica os tecidos e o algodão pode deixar pequenas fibras que poderão infetar posteriormente", alerta. "Se a ferida é muito profunda e com hemorragia intensa, deve fazer compressão local com uma compressa ou pano limpo e encaminhar a pessoa para um serviço de urgência com rapidez", aconselha.

Engasgamentos

Neste tipo de situações, que podem ocorrer com qualquer tipo de alimento ou, nas crianças, com pequenos brinquedos, o ideal é forçar a tosse e tossir para expelir o que bloqueia as vias  respiratórias. "Se isso não for possível, aperte a pessoa engasgada por trás, à altura do diafragma, para expelir o que obstrói as vias aéreas", sugere Ana Paula Cândido. Tenha em atenção que nunca se deve dar nada a beber à pessoa engasgada nestes casos.

Hemorragias no nariz

Não deve colocar a pessoa com a cabeça para trás nem colocar álcool no nariz. "Opte por deixar a pessoa sentada normalmente ou ligeiramente inclinada para a frente, de forma a não se engasgar com o sangue", salienta a médica. Pode, eventualmente, colocar uma compressa fria com gelo sobre a parte externa do nariz. Procure ajuda médica se a hemorragia persistir.

Alergias

Não panique. "Se a pessoa tiver experiência prévia com alergias provocadas por alimentos ou medicamentos, pode tomar o seu antialérgico habitual. Um banho frio também reduz os sintomas", salienta. Para alergias mais graves, como as que são  provocadas por picadas de insetos ou outros animais, deverá recorrer rapidamente ao médico, "assim como, em caso de choque anafilático, quando ocorre falta de ar e edema [inchaço] generalizado", acrescenta.

Ingestão de produtos químicos ou de medicamentos errados

No caso de produtos químicos, como a líxivia ou outros detergentes domésticos, assim como alguns xaropes nas crianças, que são muito apelativos, quer pela cor quer pelo sabor, não forçe o vómito. É a atitude mais errada pois pode irritar ainda mais o esófago.

"Não deve dar nada a beber, nem mesmo leite, porque algumas substâncias podem reagir ao líquido", avisa Ana Paula Cândido. "Verifique as orientações do rótulo do produto que foi tomado e encaminhe a pessoa rapidamente para o hospital", aconselha a médica.

Mordeduras e picadas de animais

São outros dos incidentes que podem ocorrer em casa. Em caso de acidente, lave bem o local da mordida ou picada com água corrente e desinfete-o depois com uma compressa embebida numa solução iodada. Nunca use algodão. "No caso de picada de inseto, pode lavar com água fria e aplicar uma loção apropriada para picadas de inseto", sugere.

Queimaduras

Avalie rapidamente a situação. "Nos casos de queimaduras de primeiro grau em que a pele fica vermelha, quente e seca e nos das de segundo grau, que formam bolhas de líquido claro, deve lavar a pele com água fria e não aplicar cremes, manteiga ou outros produtos caseiros", explica a médica.

Aplique, seguidamente, uma gaze gorda, tendo o cuidado de não rebentar as bolhas. Se a queimadura for de terceiro grau, com uma destruição profunda dos tecidos, deve cobrir a zona afetada com uma compressa ou com um pano limpo e transportar imediatamente a pessoa queimada para o hospital.

Acidentes em casa. Saiba como agir em caso de emergência

Os produtos essenciais em caso de emergência

A sua farmácia familiar deve conter, para além de uma lista de números de telefone úteis, incluindo o do pediatra, do hospital, do centro de saúde e dos bombeiros mais próximos e o do Centro de Informação Antivenenos (CIAV), contatável através do número de telefone 800 250 250, uma série de indispensáveis:

- Manual de primeiros socorros

- Gaze

- Compressas esterilizadas

- Ligaduras

- Adesivo

- Pensos rápidos de vários tamanhos

- Pinça metálica para retirar corpos estranhos

- Cotonetes

- Luvas de látex descartáveis

- Termómetro

- Soro fisiológico

- Loção antissética

- Loção/pomada para picadas de insetos e prurido

- Anti-histamínicos

- Analgésicos e antipiréticos como o paracetamol e o ibuprofeno

- Antidiarreicos

- Repelente de insetos

Texto: Cláudia Pinto com Ana Paula Cândido (médica de medicina geral e familiar)

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.