Apesar de poderem surgir durante todo o ano, é nos meses de maior calor que mais tendem a aparecer. Quer as bolhas, quer as queimaduras podem geralmente ser tratadas em casa. No entanto, existem casos em que se justifica procurar tratamento médico. Da próxima vez que a sua pele for vítima de uma bolha ou de uma queimadura, não fique na dúvida. Saiba a seguir em que situações deve ir ao hospital:

- Bolhas

As bolhas podem tratar-se em apenas algumas horas, mas também podem desenvolver complicações. O tratamento de uma bolha depende sobretudo do agente que a provocou, que pode ser ambiental ou químico. Esteja atento aos sinais que denunciam um foco inflamatório. Procure ajuda médica sempre que:

- A zona permanecer dolorosa

- Houver um aumento da dor ou do inchaço

- A ferida não cicatrizar, passados alguns dias

- Queimaduras

As bolhas resultantes do contacto com produtos químicos exigem atenção especial, pois antes de se tratarem de bolhas são queimaduras. As queimaduras de segundo grau provocam lesões celulares mais profundas e, geralmente, formam bolhas. Regra geral, as queimaduras provocadas por agentes químicos curam mais facilmente, dado que a ação dos agentes químicos  destrói os microorganismos, reduzindo a probabilidade de se gerar uma infeção.

No entanto, algumas queimaduras podem requerer observação médica, nomeadamente:

- Quando as queimaduras ocorrem em crianças e idosos a gravidade é maior. Crianças com idade inferior a cinco anos ou adultos com idade superior a 60 anos devem ter acompanhamento médico.

- Sempre que as queimaduras estiverem localizadas em zonas articulares como mãos ou os pés, nos órgãos genitais, na face ou cubram uma grande extensão do pescoço ou corpo.

- Quando as queimaduras cobrem mais de cinco por cento da extensão total do corpo, em jovens com idade inferior a 16 anos ou mais de 10% da extensão total do corpo em adultos.

Para identificar a extensão da queimadura, saiba que um por cento da extensão total do corpo corresponde à palma da mão.

O que fazer em caso de queimadura

A gravidade da queimadura depende de vários fatores:

- Da zona atingida pela queimadura
- Da extensão da pele queimada
- Da profundidade da queimadura

Os sinais e os sintomas que as distinguem

De acordo com a profundidade atingida, as queimaduras classificam-se em três graus:

- Queimadura de primeiro grau

São as queimaduras menos graves, apenas a camada externa da pele, a epiderme, é afetada. A pele fica vermelha e quente e há sensação de calor e dor. É considerada uma queimadura simples.

- Queimadura de segundo grau

Às características da queimadura do primeiro grau junta-se a existência de bolhas com líquido ou flictenas. Esta queimadura já atinge a derme e é bastante dolorosa. É um tipo de queimadura mais grave.

- Queimadura de terceiro grau

Às características das queimaduras de primeiro e de segundo grau, junta-se a destruição dos tecidos. A queimadura atinge tecidos mais profundos provocando uma lesão grave e a pele fica carbonizada. Este é um tipo de queimadura muito grave. A vítima pode entrar em estado de choque.

O que deve fazer em caso de emergência

Este são os procedimentos a adotar nessas situações:

- Se a roupa estiver a arder, envolver a vítima numa toalha molhada ou, na sua falta, fazê-la rolar pelo chão ou envolvê-la num cobertor. Tenha, no entanto, cuidado com os tecidos sintéticos.

- Se a vítima se queimou com água ou outro líquido a ferver, despi-la imediatamente.

- Dar água a beber frequentemente é essencial.

- Se a queimadura for de primeiro grau, é imperativo arrefecer a região queimada com soro fisiológico ou, na sua falta, com água fria corrente ou cubos de gelo, até a dor acalmar.

- Se a queimadura for de segundo grau e apesentar bolhas, é essencial arrefecer a região queimada com soro fisiológico ou, na sua falta, com água fria corrente ou cubos de gelo, até a dor acalmar, antes de lavar cuidadosamente com um antissético, sem nunca aplicar álcool.

- Se as bolhas rebentarem, não cortar a pele da bolha esvaziada. Tratar como qualquer outra ferida. O penso deve
manter-se 48 horas e só depois expor a zona queimada ao ar para evitar o risco de infeção/tétano.

Os cuidados a ter quando transportar a vítima para o hospital

Se a queimadura for de terceiro grau, esta é uma situação grave que necessita transporte urgente para o hospital. Nesse caso, deve:

- Arrefecer a região queimada com soro fisiológico ou, na sua falta, com água fria corrente ou cubos de gelo, até a dor acalmar.

- Lavar cuidadosamente com um anti-séptico. Não deve aplicar álcool, uma vez que este pode ser prejudicial.

- Tratar como qualquer outra ferida.

- Se a queimadura for muito extensa, envolver a vítima num lençol lavado e que não largue pelos, previamente humedecido com soro fisiológico ou, na falta, com água simples.

Nessas situações, nunca deve:

- Retirar qualquer pedaço de tecido que tenha ficado agarrado à queimadura.

- Rebentar as bolhas ou tentar tirar a pele das bolhas que rebentaram.

- Aplicar sobre a queimadura outros produtos além dos referidos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.