Passar as suas 8h de trabalho diário sentado, ou a sua maior parte do tempo, sair e chegar a casa e sentar-se para ver a sua série preferida não é, de todo, uma opção saudável. Claro está que, se for uma pessoa que faça exercício físico frequentemente, os danos podem não ser tão imediatos e graves, mas o que é certo é que uma grande maioria das pessoas está sujeita a eles quando passa muito tempo sentada.

Excesso de peso

Esta deve ser a única razão que ocorre quando se fala de estar muito tempo sentado. É a mais conhecida, sem dúvida, até porque os seus resultados são notoriamente visíveis. O que acontece é que quando se tem uma vida muito sedentária, o metabolismo diminui e há uma redução da quantidade de calorias queimadas. Logo, passar muito tempo sentado diminui a queima de gordura em perto de 90% e não admira que se engorde.

Aparelho digestivo

Não é à toa que por vezes aparecem doenças a alguém do nosso meio e nem se sabe bem porquê. Não há uma tendência genética, não é uma pessoa de excessos, enfim... mas sabia que já está comprovado que quem passa muito tempo sentado – e o mais assustador é que é algo que pode acontecer em apenas 1 dia – leva a que haja uma diminuição do nível de consumo de insulina pelas células? E o resultado pode ser uma maior predisposição para diabetes e outras doenças.

Coluna vertebral

Sabia que passar muito tempo sentado é antinatural? Senão vejamos... a coluna costuma ter o efeito de um S (nada de muito acentuado, claro está) para que consiga suportar grandes pesos, mas a tendência de um corpo sedentário é que a coluna se transforme num C. Ou seja, a má postura na cadeira, a inclinação e o facto dos músculos laterais e abdominais enfraquecerem faz com que não se consiga fortalecer a coluna e o abdómen logo, não conseguem sustentar o corpo a 100%. Posto isto, a carga inevitavelmente irá toda para a coluna e pélvis (por exemplo, nos homens pode inclusive originar disfunção erétil) fazendo com que a pressão sobre os discos intervertebrais aumentem, o que pode originar sintomas como dores de cabeça e dificuldades na visão.

Sistema cardiovascular

Esta também não é grande novidade... é comum saber-se que quem tem uma vida muito sedentária e sem qualquer tipo de exercício, é comum correr o risco de uma doença cardíaca e outras. Os músculos tendem a mirrar, o fornecimento sanguíneo e o suprimento sanguíneo tendem a piorar e a elasticidade dos vasos sanguíneos diminui.

Varizes

Nem 8 nem 80! Estar muitas horas em pé também as pode originar, por isso nada como um meio termo. A má circulação nas extremidade inerente ao facto de muitas horas sentado, fatores hereditários, pernas cruzadas são alguns dos exemplos que levam à formação das varizes. No caso das mulheres piora, uma vez que há uma maior predisposição genética.

Musculatura e estrutura óssea

Já aqui se referiu que os músculos podem mirrar portanto, não será novidade que se tornem flácidos e fracos. E também não é nenhuma ciência, até porque isso é logo visível, que o abdominal e as nádegas sejam os primeiros a ser afetados. Na senda, os ossos terão o mesmo fim, até porque o padrão é o mesmo que os músculos quando têm pouca ou nenhuma atividade. Se os ossos não têm por hábito a movimentação ou a “ginástica” diária para o que foram concebidos, facilemnte irão ter dificuldade em sustentar o corpo. Perda de força, osteoporose, ossos frágeis e quebradiços ou outros são algumas das consequências.

Envelhecimento precoce

Sabia que a inatividade chega a ter um índice de mortalidade mais elevado que a de consumo de tabaco? Chama-se Hipocinesia e é caraterizada por uma redução na capacidade de se movimentar, sendo mais comum depois dos 45 anos.

Os telómeros são fundamentais no controle da divisão celular e vão sendo encurtados ao longo da vida até perderem sua funcionalidade. O resultado desse processo é o envelhecimento, pois as células com telómeros curtos acabam ou ficam mais vulneráveis a instabilidades genéticas. Este é o processo normal e natural. No entanto, quando se tem uma vida sedentária, estes telómeros encurtam bem mais rapidamente, o que irá acelerar substancialmente todo o o processo de envelhecimento.

Insónias

Ora, apesar de haver uma grande atividade cerebral, o que é certo é que o corpo interpreta como sinal de descanso as várias horas que se está sentado. Assim sendo, quando chega a altura de realmente relaxar e descansar, o corpo acha que não é preciso. Portanto, nada como haver uma prática de exercício físico para melhorar a qualidade do sono.

Ansiedade e stress

Será escusado dizer que, se o exercício físico ajuda a libertar as tensões do dia a dia, a falta dele só as faz acumular. As endorfinas não são geradas em número suficiente logo, o seu humor e energia vão ser afetados e o seu corpo e mente ficarão mais propensos a um estado de alienação, ansiedade e depressão.

Posto isto, nada como batalhar e insistir na atividade física. Caminhe com frequência, prefira as escadas em vez do elevador, saia para almoçar, não se sente nos transportes públicos, faça pequenas pausas para se levantar, enfim... insista numa rotina boa de estar em pé e de se levantar sempre que puder.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.