O elixir da juventude eterna é ainda desconhecido. No entanto, está demonstrado que no universo vegetal existem ingredientes capazes de combater os sinais da passagem do tempo.

As suas flores, folhas, talos, raízes, frutos e cascas possuem segredos rejuvenescedores que a ciência tem vindo a desvendar. Fique a saber como estas plantas podem ajudá-lo a manter-se jovem durante mais tempo.

Coração

À medida que envelhecemos, as artérias tornam-se menos elásticas e nas suas paredes tendem a formar-se mais placas de ateroma, que podem obstruir os vasos e produzir coágulos, aterosclerose e aumentar a tensão arterial. Para prevenir estas situações pode recorrer ao castanheiro-da-índia. Utiliza-se apenas a sua casca, que contém escina e taninos, dois antioxidantes que combatem a fragilidade capilar, a inflamação e os edemas. Usa-se, especialmente, em transtornos de origem venosa, como varizes e tromboses. Utiliza-se em extrato alcoólico (30 gotas repartidas por três doses diárias) ou em infusão de 50 g de casca por litro de água, duas vezes ao dia.

O alho também é um bom aliado do coração. Um dos seus princípios ativos é o óleo aliáceo, que se transforma em alicina, um eficaz desinfetante e bactericida. Reduz a tensão e a aterosclerose. Elimina alguns patogénicos da flora intestinal, estimula a circulação e diminui o bloqueio das artérias, aumentando ainda o nível de insulina. Utilize-o fresco (mastigar dois dentes de alho pela manhã) ou cozido (uma cabeça de alho num litro de água durante cinco minutos e ingira três chávenas diárias), em cápsulas (600 a 900 mg por dia).

Cérebro

Com o passar dos anos, a irrigação cerebral altera-se e a degeneração dos neurónios interfere na transmissão de impulsos nervosos. Recorra ao gingko biloba. Rico em flavonoides que realizam uma importante ação antioxidante, contrariando a ação dos radicais livres. É vasodilatador e aumenta a irrigação cerebral, além de estimular a produção de dopamina e acetilcolina (relacionadas com a motricidade, as emoções e a memória). Assim, protege a memória, a concentração e o equilíbrio, afetados na sequência da deterioração cognitiva. É usado em cápsulas, duas ao
pequeno-almoço, duas ao almoço e duas ao jantar.

O ginseng também é um bom aliado do cérebro. A sua raiz possui ginsenósidos que combatem os radicais livres. É um estimulante natural que aumenta o potencial mental e físico e favorece a adaptação ao stresse. Pode ser um aliado para a memória e a concentração em casos de doença de Alzheimer e de outras demências. Pode ser usado em extrato seco ou líquido, até 1 g por dia, num tratamento não superior a seis semanas, com períodos de descanso de dois ou três meses.

A salva é outra das plantas que faz bem ao cérebro. Uma das suas principais mais valias é o seu poder antioxidante. Alguns dos seus constituintes fitoquímicos atuam nos recetores da acetilcolina, um dos neurotransmissores mais importantes do sistema nervoso, sendo um aliado no tratamento da doença de Alzheimer. Além disso, trava a perda de massa óssea e baixa o nível de açúcar no sangue. Pode ser usada em numa infusão de 15 g de folhas secas por litro de água e tomar duas chávenas por dia.

Sistema imunitário

Com o avançar da idade, o número de células T (reguladoras do sistema imunitário) diminui, aumentando a nossa vulnerabilidade a infeções. o nível de estrogéneos também baixa, ocasionando afrontamentos, perda de massa óssea e secura cutânea.

O chá verde é um bom amigo do sistema imunitário. Esta bebida destaca-se pela atividade antioxidante dos seus polifenóis, principalmente as catequinas, ácidos fenólicos e vários flavonoides, com ação anti-inflamatória, antioxidante, anticancerígena e imunomoduladora.

Além disso, protege o ADN, ajudando a manter a divisão normal das células, reduzindo a incidência de doenças oncológicas e cardiovasculares. Pode ser usado em infusão, uma a três chávenas por dia. A soja é outra opção que pode ajudar a fortalecer o seu sistema imunitário. Contém isoflavonas que estimulam a produção de ácido hialurónico e colagénio na pele.

Favorece algumas funções mentais como a memória e a aprendizagem e atua como um estrogénio vegetal, sendo um suplemento aconselhado na menopausa. Outros constituintes como a lecitina e as suas proteínas são úteis para combater o colesterol, a hipertensão e doenças cardiovasculares, neurológicas e hepáticas. Pode ser usada em cápsulas e sob a forma de lecitina, leite, tofu, rebentos ou farinha. Enquadre a sua ingestão numa dieta equilibrada.

Pele

O tecido epidérmico é um dos mais afetados pela passagem do tempo. A exposição solar é um dos grandes responsáveis pelo seu envelhecimento. Para combater esses problemas, pode recorrer à borragem. Graças ao seu elevado teor de ácidos gordos essenciais de boa qualidade (sobretudo o gama linolénico), atua como hidratante, fortalecendo as células cutâneas. Os mesmos óleos são ainda precursores das prostaglandinas, participando na regulação hormonal. A borrafem pode ser usada em compressas embebidas no seu óleo (para eczemas), embora o mais habitual seja consumi-lo em cápsula, duas a quatro por dia.

Pode recorrer também à calêndula. Esta planta exerce uma ação suavizante, calmante e descongestionante que favorece a cicatrização, a pele irritada ou com dermatite. Pode ser usada em sabão, unguento, óleo ou loção, todos de aplicação tópica na área afetada da pele. Também em forma de infusão, duas a quatro chávenas por dia. O alecrim também é um bom aliado da pele.

É utilizado em loções e sabonetes como reconstituinte da pele, tonificando-a e hidratando-a. Estudos recentes descobriram ainda que previne a formação de placas de mau colesterol. Pode ingeri-lo sob a forma de uma infusão, duas chávenas por dia, ao pequeno-almoço e ao almoço. Para prepará-la, junte 5 g de alecrim seco por chávena de água.

A centelha asiática é outra das plantas com propriedades benéficas para a pele.

Conhecida pela sua ação anticelulítica, contém substâncias regeneradoras como os triterpenóides, que regulam a biossíntese do colagénio, proporcionando a eliminação de gorduras acumuladas e toxinas. Pode ser usada em fórmulas cosméticas que a contenham, segundo indicações na embalagem e em comprimidos, 1 a 2 g por dia.

Ossos e músculos

Para fortalecer os seus ossos e músculos, recorra à cimicifuga. Esta aumenta a fixação de cálcio na matriz óssea, impede a formação de osteófitos (massa mineral óssea) nas articulações e previne doenças osteoarticulares, responsáveis pela maior parte dos casos de dor em idades mais avançadas. Além disso, atenua as dores musculares. Utiliza-se em suplemento alimentar, entre 40 a 200 mg por dia.

Revisão científica: João Beles (naturopata)

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.