É o sono que nos permite recuperar do dia-a-dia, descansar o cérebro e, até, melhorar a memória.

Durante o sono, ainda nos apercebemos de alguns sons e processamo-los no córtex auditivo.

Esta sensibilidade varia de pessoa para pessoa: há quem não desperte nem ao terceiro toque de alarme e quem acorde ao mínimo ruído.

Aquilo que ouvimos a dormir ou ao adormecer pode ser ou alarmante ou relaxante: sons alarmantes, naturalmente, interrompem o processo de adormecer, e os sons relaxantes ajudam-nos a fechar os olhos e a dormir mais profundamente. Mas nem sempre é fácil de descobrir o que resulta para cada pessoa.

Ruído branco: O chamado white noise pode ajudar a adormecer mais facilmente, até porque mascara outros sons, mas atenção a certas aplicações que podem causar danos no nervo auditivo, especialmente se usa headphones e tem uma audição sensível.

Sons da natureza: Tipicamente relaxantes, desde o som do mar até ao ambiente de uma floresta, tradicionalmente oscilam em frequência e amplitude.

Música: Clássica, jazz, folk ou algo simplesmente calmo e que transmita uma sensação de paz. Oiça idealmente com um temporizador, para que vá diminuindo o volume e desligar-se à medida que a noite avança.

Silêncio total: Tal como há quem não adormeça com uma réstia de luz no quarto, existem os fãs de silêncio absoluto, sem o qual não conseguem desligar. Se partilha casa, procure a compreensão dos que moram consigo e a colaboração neste sentido.

Os conselhos são dos audiologistas da MiniSom.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.