A medicina física e de reabilitação tem por objectivo a prevenção e o tratamento das complicações, que podem surgir após a cirurgia, no membro superior do lado operado.

As principais são a dor, a limitação de movimentos com possível repercussão nas actividades da vida diária, a falta de sensibilidade na parte superior e interna do braço, o edema linfático (inchaço), que pode surgir logo após a cirurgia ou muito tempo depois, por vezes vários anos. Este resulta da remoção dos gânglios linfáticos axilares tornando mais lento o fluxo da linfa.

Para as prevenir, podem ser feitos exercícios que serão ensinados pela equipa de reabilitação e que serão adaptados de forma gradual, de modo a serem bem tolerados, não causando cansaço excessivo. Com estes exercícios pretende-se que o membro superior do lado operado não fique com limitação da mobilidade e, simultaneamente, facilitam a drenagem linfática prevenindo o edema linfático.

Com o objectivo de facilitar a drenagem linfática é desaconselhado do lado operado o uso de objectos apertados, como pulseiras ou relógios, a medição da pressão arterial, a realização de grandes esforços ou carregar pesos, a prática de movimentos repetitivos, a colheita de sangue para análise, etc.

São aconselhadas uma série de precauções nas actividades do dia-a-dia visando evitar infecções. Lembre-se de que a circulação linfática tem um importante papel nas defesas do nosso corpo e que no caso da mulher submetida a esvaziamento ganglionar axilar está comprometida do lado operado, tornando-o mais vulnerável à infecção.

Devem assim ser prevenidas todas as situações que possam ferir ou queimar a pele, incluindo mesmo as queimaduras provocadas pelo sol. Desta forma, é aconselhada a depilação da axila com máquina eléctrica ou com cremes depilatórios, devendo banir-se o uso de lâminas.

Devem usar-se luvas de material resistente para lavar a loiça, a roupa e para a execução de trabalhos de jardinagem, luvas acolchoadas para mexer no forno, dedal para costurar, etc.

Há que evitar injecções no braço do lado operado, bem como receber soro. Deve ter-se cuidado evitando substâncias que possam ser irritantes para a pele. É ainda aconselhado o uso de um creme hidratante para protecção da pele.

Estes cuidados devem ser mantidos durante toda a vida, mesmo que nunca tenham surgido complicações. No caso de se ferir na mão ou no braço do lado operado, de ser picada por um insecto, de sofrer uma queimadura mesmo que solar, ou se notar alguma alteração, nomeadamente «vermelhidão», calor ou «inchaço», deve contactar o médico.

Uma vez instalado o edema linfático, o seu tratamento baseia-se na execução de exercícios, drenagem linfática manual (massagem) ou utilizando uma máquina (pressoterapia). São colocadas inicialmente ligaduras elásticas e posteriormente é recomendado o uso de mangas elásticas. Pode ser necessário recorrer à administração de medicamentos.

Em determinadas instituições de saúde têm sido criados programas de prevenção e tratamento multidisciplinares que contam com a colaboração de vários profissionais, nomeadamente médicos fisiatras, técnicos de fisioterapia, terapeutas ocupacionais, psicólogos, dietistas e assistentes sociais.

Estes programas englobam sessões em grupo para mulheres mastectomizadas ou submetidas a cirurgia conservadora seguida de esvaziamento ganglionar axilar, em que são dados conselhos para a actividade diária, são feitos exercícios, cinesioterapia respiratória, é dado apoio psicológico, nutricional e psicossocial. Estas sessões têm uma frequência bissemanal e prolongam-se por seis semanas.

A medicina física e de reabilitação pode ajudar no tratamento das outras complicações:

- Na dor, através do uso de agentes físicos analgésicos, por exemplo TENS (corrente eléctrica analgésica) ou massagens de relaxamento.

- Na limitação articular pela execução de determinados exercícios/actividades.

É muito importante ensinar às doentes novas estratégias para desempenharem as suas actividades diárias, de modo a prevenir as complicações mencionadas.

Fonte: 34 Copa B - Guia prático sobre a mama, a saúde e a sexualidade, Ana Paula Avillez (médica imagiologista especialista em Senologia), editora Academia do Livro