Na medicina indiana e chinesa, a língua é uma ferramenta de diagnóstico da saúde interna de uma pessoa. Na medicina ocidental, já foi reconhecido que algumas doenças e desequilíbrios se podem manifestar com alterações na língua, daí a importância da sua observação diária, atentando a sinais estranhos (ainda que precisemos de mais estudos para ser algo linear).

Qual o aspeto de uma língua saudável?

A língua deve ter um tom rosa uniforme, nunca pálida ou vermelha. Além disso, não deve estar muito seca nem muito molhada, a textura deve ser suave, e as laterais não devem ter marcas de dentes impressas. Observa a imagem abaixo e tenta identificar em qual dos estados se encontra a tua língua.

Já olhou hoje para a sua língua? Um alerta para doenças e desequilíbrios váriosJá olhou hoje para a sua língua? Um alerta para doenças e desequilíbrios vários
Já olhou hoje para a sua língua? Um alerta para doenças e desequilíbrios váriosJá olhou hoje para a sua língua? Um alerta para doenças e desequilíbrios vários créditos: Manuscrito

Na imagem, vemos diferentes graus da saburra lingual. A saburra lingual acontece, principalmente, devido à falta de higienização e pode levar a mau hálito, inflamações, cáries, amigdalites de repetição ou ser mais um dos fatores que contribuem para a disbiose. Aparece na superfície da língua de forma natural quando acordamos, uma vez que o fígado trabalha durante a noite para eliminar toxinas, e essas toxinas são eliminadas pelo suor, urina, fezes, mas também na língua. Caso exista saburra em excesso, poderá significar má digestão, hipocloridria, disbiose ou acumulação de toxinas. Felizmente, com este processo de melhoria da digestão, a camada de saburra vai atenuando.

O que diz a tua língua sobre a tua saúde geral?

  • Uma língua mais roxa ou azulada, geralmente, indica patologias que modificam o fluxo de oxigenação no sangue (estado que

se chama cianose). Pode acontecer em doenças cardíacas congénitas, doenças pulmonares e hematológicas, ou por intoxicação por gás cianeto ou inseticidas e exposição a fumo de incêndios.

  • A língua geográfica é uma condição caracterizada por inflamação da língua (glossite). São lesões que iniciam como pequenas manchas brancas e, à medida que se estendem ou migram, desenvolvem uma zona atrófica vermelha central, devido à perda das papilas filiformes. Ou seja, é uma língua com áreas vermelhas, bem marcadas, e algumas pessoas podem ainda ter sensibilidade e dor (especialmente ao ingerir alimentos cítricos, quentes ou condimentados). Não se sabe a causa exata, mas pode estar relacionada com aumento dos níveis de stresse, condições alérgicas, distúrbios hormonais, fatores genéticos e défices nutricionais.
  • A língua fissurada difere-se da geográfica na medida em que apresenta mesmo fissuras (sulcos) rasas ou profundas na superfície da língua. Estas não têm uma causa exata, estão simplesmente associadas a um grau de inflamação elevado como um todo.
  • Uma língua vermelha com saburra mais amarelada pode indicar presença de problemas no estômago ou fígado.
  • A presença de marcas de dentes na maioria das vezes pode indicar défices nutricionais, sendo comum em pessoas com

hipotiroidismo e bruxismo.

  • Uma língua pálida e lisa pode indicar anemia por défice de ferro e B12, principalmente. Pode também causar ardência e acontecer em pessoas com doenças crónicas, como insuficiência renal, cancro, lúpus e anemia falciforme ou após hemorragias.
  • Uma língua com pontos muito vermelhos pode indicar um quadro infeccioso (síndromes febris, escarlatina) ou défices nutricionais, especialmente de vitamina B5, vitaminas A, C ou zinco.
  • como ter um super intestino
    como ter um super intestino créditos: Manuscrito

Porque é que deves higienizar a tua língua diariamente

Da mesma forma que escovamos os dentes todos os dias, alguns especialistas em higiene oral aconselham a raspagem da língua. Este é só mais um no conjunto de passos que podemos adotar na melhoria da digestão e na redução de graus inflamatórios.

A raspagem da língua é o processo de passar uma ferramenta simples pela língua para remover bactérias, partículas de alimentos e outros detritos da superfície. Já existe há milhares de anos e, apesar de algumas pessoas a escovarem aquando da lavagem dos dentes, os especialistas dizem que ter uma ferramenta própria de cobre ou aço inoxidável é melhor para remover placas e bactérias da superfície lingual. Apesar de os estudos serem limitados, há cientistas que afirmam que esta raspagem, se bem feita e de forma regular, pode melhorar o mau hálito, o paladar, diminuir as cáries e um possível quadro de disbiose. Durante o sono, o fígado faz o seu processo natural de desintoxicação. Essas toxinas são depositadas na superfície da língua através dos canais excretores internos, e podemos ver uma camada (a saburra) — são as toxinas do dia anterior. Se as deixarmos lá, ao ingerir alimentos e líquidos, elas podem chegar à orofaringe e espalhar-se para outros locais do corpo, prejudicando a digestão. A saburra é formada por restos de alimentos, acumulação de toxinas e bactérias.

Assim, a raspagem deve ser feita antes de comer ou beber qualquer líquido pela manhã e pode ser feita antes ou depois da escovagem dos dentes. Devemos passar o raspador desde a parte de trás da língua até à frente, duas ou três vezes, aplicando uma leve pressão, e «limpando» o raspador em água morna entre as raspagens. À medida que vamos melhorando a digestão, a saburra tende a diminuir (um dos sinais de disbiose é a língua esbranquiçada).

Imagem de abertura do artigo cedida por Freepik.