Tomar nota dos nossos pensamentos, sentimentos e emoções pode melhorar a síndrome do cólon irritável, revelou um estudo da Universidade de Boston, nos Estados Unidos da América. Esta descoberta reforça a evidência de que a expressão escrita dos sentimentos potencia a eficácia da terapêutica tradicional da doença. Com benefícios já demonstrados no caso da depressão, artrite reumatoide e dor crónica, este gesto parece, agora, melhorar também a sintomatologia da patologia, que inclui dores abdominais, diarreia, inchaço e prisão de ventre, nos doentes que padecem desta patologia há já algum tempo.

O recurso a agulhas é outra das terapias alternativas que ajudam a combater a doença. «Sendo que a acupuntura pode ser utilizada em muitas patologias, ela é comprovadamente eficaz em muitas situações dolorosas (doenças musculares e articulares agudas e crónicas e algumas formas de nevralgias, por exemplo), distúrbios emocionais (ansiedade, depressão e insónia), perturbações psicossomáticas (cólon irritável, palpitações e cefaleias), distúrbios do apetite e algumas doenças de adição (tabagismo), entre outras», refere fonte da Clínica Cuf Alvalade, em Lisboa, que dispõe de uma Unidade de Acupunctura Médica, em comunicado.

Vulgarmente, conhecida como colite nervosa, colite espástica, cólon irritável ou doença funcional do intestino, esta patologia atinge, em média, entre 10% a 20% da população dos países desenvolvidos. Em Portugal, as estimativas apontam para uma percentagem na casa dos 15%. Em 2007, segundo a agencia de notícias Lusa, eram mais de dois milhões os casos registados. As mulheres tendem a representar o dobro dos casos de doença que pode surgir antes dos 45 anos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.