A síndrome pré-menstrual (SPM) engloba alterações do foro físico e emocional e surge, normalmente, nos dias que antecedem a menstruação. Quase todas as mulheres conhecem os sintomas e queixas mais comuns, nomeadamente ansiedade, depressão, crises de choro, irritabilidade, dificuldade em adormecer, alterações no desejo sexual e/ou menor capacidade de concentração.

Em termos físicos destacam-se a tensão mamária, fadiga, dores musculares ou articulares, aumento de peso associado à retenção de líquidos, inchaço na zona abdominal, espasmos e apetite exagerado por certos alimentos. No entanto, através de simples mudanças no estilo de vida, pode fazer frente à síndrome pré-menstrual, melhorando o seu bem-estar durante esse período.

Estes são alguns dos conselhos que deve seguir para prevenir e aliviar os sintomas mais associados à síndrome pré-menstrual:

- Faça refeições frequentemente, ingerindo quantidades pequenas. Estará a ajudar o seu organismo a manter os níveis de açúcar no sangue estáveis.

- Modere o uso do sal e a ingestão de alimentos salgados, especialmente na segunda metade do ciclo. O sal favorece a retenção de líquidos e o inchaço abdominal.

- Os alimentos ricos em hidratos de carbono complexos, como cereais integrais e leguminosas secas, reduzem as queixas do foro emocional e previnem os ataques ao frigorífico.

- Evite gorduras, não beba álcool e reduza a ingestão de cafeína.

Veja na página seguinte: A atividade física que também ajuda

A ajuda do exercício físico

A atividade física regular é eficaz no alívio da síndrome pré-menstrual. O exercício aeróbio, que inclui atividades como marcha, corrida, natação ou andar de bicicleta, aumenta a frequência cardíaca e melhora e regula a função pulmonar, ajudando a reduzir a fadiga e a ansiedade. Cerca de 30 minutos (pelo menos) de exercício físico diário deve ser a meta a atingir.

Tratamentos recomendados

O seu médico pode recomendar a combinação da toma de um ou mais fármacos para atenuar as queixas associadas à síndrome pré-menstrual. Além disso, alguns antidepressivos podem ser úteis na redução de queixas, assim como anti-inflamatórios, diuréticos, bem como a toma de um contracetivo oral (pílula). No entanto, só o médico poderá definir a terapêutica que mais se adequa ao seu caso.

Está na altura de ir ao médico?

Os sinais que deve controlar para perceber se deve procurar apoio especializado:

- Se, mesmo depois de ter introduzido alterações no seu estilo de vida, os sintomas se manifestam há pelo menos três meses e interferem nas suas atividades diárias, deve procurar o seu médico.

- Antes de ir à consulta, registe numa tabela mensal os seus sintomas ao longo de três meses. Classifique-os usando uma escala de zero a dez, de acordo com o grau de intensidade.

- Aponte também as datas do início e do fim dos sintomas e as datas do início e do fim das menstruações.

Texto: Teresa d'Ornellas

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.