Ambliopia escondida
créditos: Pedro Loureiro

Nos castings, Rogério nunca anuncia que é ambíope. Aos 52 anos, a doença está estabilizada nos 24% de incapacidade visual. «Nunca digo, porque acho que «têm de ter a capacidade de nos receber, de nos acolher independentemente de não ver», explica.

Até porque acredita que a sua incapacidade visual pode ser motivo de exclusão: «Tenho dificuldade em assumir que não vejo bem porque, se disser que não vejo, eles não me chamam». Aconteceu no filme de Edgar Pêra “O Barão”, em que desempenhou o papel de empregado do barão (Nuno Melo). «Ninguém sabia que eu via mal a não ser a produção».

E o próprio cineasta, que voltou a convidá-lo para a película “Delírio em Las Vedras”, sobre o Carnaval de Torres Vedras. Ambos os filmes foram difíceis, assume Rogério, porque «foram filmados no exterior». E é com a luz do dia que sente mais dificuldade. Mas conseguiu.

«Eu quero mostrar que sou capaz, nunca deixarei de ser actor. É o que o Edgar diz: sou um actor meteorítico, mas não menos importante»

Texto de Sónia Balasteiro

Saiba mais em www.revistasauda.pt

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.