Neste estudo foram observadas 100 mulheres na pós-menopausa, durante 12 meses, que foram divididas em dois grupos. Um grupo de 55 mulheres consumia 100 g de ameixas secas diariamente (cerca de 10 ameixas secas), enquanto o outro grupo de 45 mulheres, grupo de controlo, foi orientado a consumir 100 g de maçã seca diariamente. Para minimizar o impacto da existência de fatores que causassem confusão, todas as participantes receberam diariamente 500 mg de cálcio e 400 unidades internacionais de vitamina D.

Terminados os 12 meses, o grupo de senhoras que consumiu 100 g de ameixas secas diariamente, apresentou uma densidade mineral óssea significativamente maior no cúbito e na coluna, quando comparado com o grupo de controlo, que comeu as maçãs secas.

Segundo este estudo, parece que o consumo regular de ameixas secas impede a reabsorção óssea, o que na prática traduz-se numa redução do risco de fraturas ósseas. Mais estudos aguardam-se para avaliar até que ponto esta prática deva traduzir-se numa recomendação para a prevenção da osteoporose. Todavia há que referir que a prevenção desta doença deve começar na infância, em particular nas mulheres e quem possua história familiar de osteoporose.

 O consumo regular de ameixas secas pode ser introduzido numa alimentação equilibrada e completar as diversas medidas recomendadas na prevenção de fraturas, nomeadamente realizar uma adequada ingestão de alimentos ricos em cálcio, evitar o consumo excessivo de bebidas alcoólicas e café.

Dra. Joana Pinheiro
(Nutricionista)

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.