Dois investigadores sul-coreanos descobriram que a propionibacterium freudenreichii, presente em vários laticínios mas em maior concentração nos queijos suíços, como o emmental, tem propriedades anti-inflamatórias, que reforçam o sistema imunitário, diminuindo as respostas ao stress e aumentando a esperança de vida.

De colónia de bactérias, a anticancerígeno. 10 curiosidades sobre o queijo
De colónia de bactérias, a anticancerígeno. 10 curiosidades sobre o queijo
Ver artigo

Esta bactéria transforma o lactato (sais derivados do ácido lático) em acetato, propionato e dióxido de carbono. Estes últimos são os responsáveis por este reforço do sistema imunitário, embora sejam também eles a conferir aos queijos o seu sabor e cheiro característico.

O estudo, feito em minhocas (Caenorhabditis elegans), mostrou que estas vivem mais tempo e com mais saúde quando estiveram em contacto com a bactéria.

Sistema imunitário reativado

Os sul-coreanos descobriram ainda que as bactérias do queijo suíço ativaram o sistema imunitário e tornaram os vermes capazes de combater os organismos patogénicos mais rapidamente.

Os cientistas frisam que os mecanismos com os quais a bactéria do queijo suíço interage não são diferentes entre humanos e Caenorhabditis elegans.

"Portanto, é possível que os mecanismos identificados neste estudo possam ser aplicados a outras espécies, incluindo aos seres humanos", concluíram os cientistas.

O estudo foi publicado na revista Nature.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.