Nos seres humanos, o processo de envelhecimento denomina-se como o processo de desgaste das células que vai tendo cada vez mais influência no dia a dia, ao longo da nossa vida. No entanto, as causas que provocam o envelhecimento não são totalmente conhecidas. O estilo de vida e sobretudo as escolhas alimentares que fazemos são fatores a ter em conta neste processo.

“Embora seja um tema em estudo permanente, sabe-se que através de uma seleção cuidadosa da nossa alimentação podemos influenciar o desenvolvimento da inflamação, uma componente natural do processo de envelhecimento”, explica Ana Rita Lopes, Coordenadora da Unidade de Nutrição Clínica do Hospital dos Lusíadas. Segundo a especialista, “uma alimentação desequilibrada, onde não prevaleçam escolhas alimentares saudáveis, como frutos e legumes protetores, poderá acelerar o processo natural de envelhecimento do organismo”.

Francisca Guimarães percebeu, na própria pele, o poder que a alimentação podia ter no seu corpo. “O meu interesse por esta temática surgiu quando decidi que seria eu a resolver um problema que há muito me incomodava: o acne. Desiludida com a abordagem convencional sobre a minha condição, optei por começar a estudar medicina natural. Não só o acne que tinha desapareceu, como também todo o meu corpo se transformou”, confessa. E esta alteração de comportamento trouxe-lhe outras mais-valias. “Uma das alterações que notei, após esta transformação, foi um rejuvenescimento, nomeadamente da minha pele. Esse facto despertou o meu interesse sobre o tema do antiaging e longevidade”, acrescenta Francisca Guimarães.

Hoje, Francisca é a responsável pelo blog Miss Kale e é também dinamizadora de workshops sobre alimentação antiaging. “O principal objetivo deste workshop, sobre “alimentação antiaging”, consiste em despertar a consciência das pessoas para o impacto que a alimentação tem na sua saúde, beleza e longevidade, assim como também dar-lhes as ferramentas necessárias para que possam fazer as devidas alterações na sua rotina”, explica.

Mas será que a alimentação tem um impacto assim tão direto no processo de envelhecimento do nosso corpo? “Sim, existem alimentos que aceleram o processo de inflamação e consequentemente condicionam o envelhecimento celular”, confirma Ana Rita Lopes e os alimentos apontados como mais prejudiciais são os suspeitos do costume. “Destacam-se os alimentos processados e industrializados, onde verificamos a presença de uma grande quantidade de gorduras e açúcares adicionados, assim como, os produtos de origem animal com alto teor de gordura”, explica a nutricionista.

Na opinião de Ana Rita Lopes, uma alimentação equilibrada e diversificada com alimentos ricos em vitaminas e minerais, como as vitaminas C e E e Selénio e com propriedades antioxidantes são aqueles que melhor protegem as células, sobretudo alimentos vindos diretamente da Natureza como cereais, fruta e legumes frescos.

“Tudo aquilo que ingerimos irá ter um impacto nas nossas células, promovendo, entre outros, o seu envelhecimento ou rejuvenescimento. Logo, torna-se fundamental as pessoas familiarizarem-se com os alimentos que devem evitar e os que devem priorizar, de modo a manterem a sua juventude e promoverem a sua longevidade”, defende Francisca Guimarães.

Mas não pense que uma alimentação rica em alimentos que retardam o envelhecimento vai ser o elixir da juventude. O envelhecimento do nosso corpo é inevitável e “apesar de assumirem uma grande importância para a saúde, não podemos afirmar que por si só as escolhas alimentares combatem o envelhecimento, uma vez que existem outros fatores condicionantes que deverão ser tidos em conta”, explica Ana Rita Lopes. Na opinião de Francisca Guimarães “o envelhecimento é um processo natural e que acontece em todas as pessoas, independentemente da alimentação e estilo de vida que tenham. No entanto, este processo pode ser acelerado ou desacelerado consoante determinadas variáveis, nomeadamente a alimentação”.

E quanto mais cedo se começar a preocupar com as suas escolhas alimentares melhor. “O ideal seria termos, desde sempre, um estilo de vida que promova a juventude e longevidade”, explica a bloger mas “nunca é tarde, pois o nosso corpo tem uma capacidade fantástica de regenerar. Uma vez que essa capacidade, do corpo se regenerar, vai diminuindo com a idade, torna-se essencial fornecer -lhe, desde cedo, as ferramentas que irão suportar esta tarefa”.

Veja também: Estes são os 10 alimentos mais sobrevalorizados deste verão

Continua na página seguinte:

Desde 2012 que Francisca Guimarães tem vindo a organizar workshops sobre o tema “alimentação antiaging e longevidade” e o feedback do público tem sido positivo.

“Em todas as edições do “workshop antiaging e longevidade” tive pessoas a enviarem-me uma mensagem, semanas mais tarde, partilhando as diferenças que já notavam no seu corpo. E isso é maravilhoso e muito gratificante!”, explica a cara por detrás do Miss Kale.

Está preparado para mudar?

Mudar de hábitos não é fácil. É um processo que leva o seu tempo e que tem de ser tomado em consciência. Cada caso é um caso e na opinião de Francisca Guimarães depende da condição de cada pessoa e dos seus objetivos.

“Por exemplo, se for alguém que manifeste uma série de sintomas, como certos problemas de saúde e envelhecimento precoce, e que deseje um corpo jovem, saudável e cheio de energia, provavelmente irá ter que fazer uma mudança mais radical do que outra pessoa que se encontre saudável e apenas deseje otimizar a sua saúde, beleza e níveis de energia. Fundamentalmente, este estilo de vida, que promove a juventude e longevidade, passa por substituir determinados hábitos por outros”, defende.

Foi o que aconteceu com a própria Francisca. Em 10 anos perdeu sete quilos, o acne desapareceu, as rugas, que surgiram como resultado dos medicamentos convencionais que tomou para combater essa condição, desapareceram, perdeu a celulite e confessa que o cabelo e unhas estão mais fortes que nunca, que os seus ciclos menstruais regularizaram e que a sua memória e capacidade de concentração estão em níveis ótimos. "Não tenho insónias e os níveis de energia que sinto são incríveis", confessa.

De acordo com Ana Rita Lopes, “uma alimentação saudável e equilibrada pode contribuir para a longevidade, uma vez que são adquiridos nutrientes (nomeadamente vitaminas e minerais antioxidantes) essenciais para a prevenção de doenças crónicas e benéficos no anti-envelhecimento, como tem sido demonstrado em diversos estudos”.

Francisca Guimarães conclui que “a mensagem mais importante, acerca deste tema, baseia-se em: tudo o que tu comes, bebes, e já agora, pensas, sentes e fazes tem sempre um efeito no teu corpo, direcionando-o para a saúde, beleza e longevidade ou para a doença e envelhecimento prematuro”.