O mundo mudou, e dentro deste, vários pequenos mundos mudaram. O do turismo e das viagens não será mais o mesmo e é, sem dúvida, um dos setores que está a sofrer particularmente com a pandemia, para o qual vai ser necessário criar condições e alterações profundas e de readaptação para que a confiança dos viajantes renasça e o setor retome a atividade.

Neste momento, na Europa, iniciamos paulatinamente e ainda com bastantes incertezas, a fase de desconfinamento, e tal como acontece noutras alturas, neste momento viaja quem precisa, por trabalho ou para regressar a casa com os familiares. Brevemente, voltarão as viagens de lazer e aventura.

Para além das questões legais, nas quais nos confrontamos com notícias de que as fronteiras se vão abrindo, tal como numa cadencia de dominó, paira sempre a questão: “É seguro viajar?”. Há que ter em conta vários fatores, entre os quais os cuidados a ter, o tipo de viagem e o destino.

É ou não seguro viajar?

Sabemos que as informações das organizações de saúde por vezes se contradizem e que existe muita desinformação. A verdade é que sendo uma situação totalmente nova e complexa, a velocidade dos estudos e a evolução dos acontecimentos acontece a um ritmo alucinante.

Todas estas decisões podem afetar uma decisão de viagem nos próximos tempos, e talvez o mais útil e produtivo será consultar um médico especializado em medicina de viagem que, estando atualizado, reúna a informação de forma fidedigna e prática para que a possa transmitir de forma clara.

Terá que haver sempre uma ponderação risco-benefício de parte a parte, verificar a pertinência da viagem e promoção de cuidados preventivos e mitigação de possíveis riscos.

Os mesmos cuidados de higiene sanitária, desde o distanciamento social, uso de máscara, lavar as mãos frequentemente, devem ser adotados, como quando o faz cá.

Para além das recomendações habituais, nesta altura, deve ter presente outras considerações antes de viajar:

1 - Verificar as informações do local de destino e verificar as possíveis restrições país a país.

2 – Consultar o seu médico de viagem e preparar uma farmácia de viagem (termómetro, medicação, máscaras, desinfetante, etc). Ter em atenção e levar medicação habitual para um período mais alargado.

3 – Fazer um seguro de saúde / viagem completo que inclua os tratamentos por COVID-19.

4 – Verificar as notificações prestadas pela companhia aérea e atualizar as informações digitais.

5 – Estar preparado para esperar mais tempo no aeroporto, mantendo sempre as distâncias de segurança e cumprindo as recomendações do staff da companhia. Lembrar-se que é preciso usar máscara desde a entrada do aeroporto de partida até à saída no aeroporto de destino.

6 – Preparar-se para uma possível quarentena (as condições no local de destino podem alterar-se de um momento para o outro e é necessário estar preparado para ficar mais dias do que o suposto)

7 – Se se sentir doente durante a viagem, contacte o seu médico de viagem e o número de contacto disponibilizados pelas organizações de saúde locais.

8 – No regresso, monitorizar durante 14 dias os sintomas e, se necessário, ficar em isolamento preventivo.

Neste momento ainda não existem regras comuns e 100% definidas pelas autoridades e organizações dos respetivos países.

Enquanto se pondera a criação de um possível passaporte imunitário, um protocolo de saúde pré-viagem, ou se espera por uma vacina ou tratamento eficaz que faça ultrapassar o medo do desconhecido, devemo-nos manter conscientes e a par das recomendações baseadas na melhor evidência à data.

Por conseguinte, um comportamento preventivo é a melhor solução para poder aproveitar a sua viagem da melhor forma.

É sensato evitar viajar para locais de maior risco, onde quer pelo número de casos, (ou falta deles), ou pelas piores condições de serviços de saúde ou mesmo locais mais exóticos e de difícil acesso, onde o transporte torne uma missão de resgate mais complicada.

Viajar é inato ao homem, fazemo-lo há milénios, e mais tarde ou mais cedo iremos ter vontade ou necessidade de o fazer. O objetivo será fazê-lo da forma mais segura e tranquila possível.

Um artigo do médico Pedro Caetano, especialista em Medicina Geral e Familiar e em Medicina Aeronáutica. Co-Fundador PLANET EXPLORERS Medical Solutions www.planetmedicalsolutions.comCoordenador da Unidade de Medicina Aeroespacial e Viagem -  CUF Instituto.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.