“O serviço já está a funcionar dentro da normalidade desde as 08:00 de hoje, depois de termos tido 48 horas de escalas não cobertas devido à falta de médicos”, disse à agência Lusa o presidente do conselho de administração da Unidade Local de Saúde do Litoral Alentejano (ULSLA), Luís Matias.

O serviço foi hoje retomado no HLA, situado no concelho de Santiago do Cacém, distrito de Setúbal, “com uma médica de medicina geral e familiar que está a fazer urgência”, indicou o responsável.

O atendimento a crianças nas urgências do hospital esteve encerrado, entre as 08:00 de terça-feira e as 08:00 hoje, devido à falta de médicos, e durante esse período apenas funcionaram as urgências básicas de Alcácer do Sal (Setúbal) e de Odemira, no distrito de Beja, com “o atendimento total” dos utentes.

Apesar da interrupção no atendimento a crianças, segundo Luís Matias, na terça-feira “foram atendidos 18 utentes em idade pediátrica” e na quarta-feira “foram ainda atendidas duas crianças” nas urgências gerais do HLA.

Considerando que “a pior altura já passou”, o administrador hospitalar disse, contudo, que “não pode prever alguma falta súbita”, apesar das “escalas estarem preenchidas com prestadores de serviço”.

O Hospital do Litoral Alentejano serve uma população de 100 mil habitantes dos concelhos de Alcácer do Sal, Grândola, Santiago do Cacém, Sines e Odemira.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.