Em média, um em cada três termoventiladores é perigoso. A conclusão é da análise da DECO. "Comunicámos as conclusões do nosso estudo à Autoridade de Segurança Alimentar e Económica (ASAE) e pedimos que confirmasse as nossas denúncias e que retirasse os aparelhos perigosos das prateleiras das lojas", explica a associação em comunicado.

"Os nossos testes laboratoriais a termoventiladores começam com as provas de segurança. Quando um modelo mostra fragilidades numa delas, repetimos os testes numa segunda amostra. Se o comportamento se repetir, o aparelho não passa à fase seguinte, na qual avaliamos o desempenho", informa.

Como agir em caso de bolhas e queimaduras?
Como agir em caso de bolhas e queimaduras?
Ver artigo

"De nada adianta ter um equipamento que aquece com rapidez e eficiência, se não for seguro. Nos testes de segurança verificamos, por exemplo, se o aparelho aquece demasiado durante o funcionamento normal, se existem elementos com corrente elétrica acessíveis a uma criança ou adulto e se os plásticos são resistentes ao calor e ao fogo. Também analisamos como se comporta numa utilização anormal, como uma avaria no termóstato ou no ventilador ou a saída de ar ficar obstruída", acrescenta a associação.

Se tem um dos dois modelos em baixo em casa e comprou-o há pouco tempo, contacte a loja ou o fabricante e tente trocá-lo por um aparelho seguro ou peça a devolução do dinheiro:

- ORBEGOZO FH 5035

- TAURUS TROPICANO BAGNO

A DECO admite que quem procura um aparelho para utilizações pontuais, barato e rápido a aquecer uma divisão, um termoventilador "é uma boa opção". "Estes equipamentos são uma solução interessante para quem tem necessidades reduzidas de aquecimento (casa bem isolada ou exposta ao sol no inverno), muda de habitação com frequência ou não quer gastar muito na compra de um aparelho para aquecer", explica.

Conselhos da DECO

Os termoventiladores são uma solução para quem tem necessidades reduzidas de aquecimento (casa bem isolada ou exposta ao sol no inverno), muda de habitação com frequência ou não quer gastar muito na compra de um aparelho para aquecer. Para evitar consumos muito elevados, ligue o aparelho quando entra na divisão e desligue-o antes de sair. Consegue, assim, manter o conforto sem que a fatura da eletricidade pese demasiado.

Mesmo optando por um aparelho que se revelou seguro nos testes da DECO, convém usá-lo com cuidado.

Assegure-se de que existe espaço à volta, para o ar circular, e não o ligue na casa de banho (exceto se incluir a marcação IP21, que indica que é adequado a esta divisão). Também não deve tapá-lo ou aproximá-lo de roupa ou mantas durante o seu funcionamento.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.