A dívida dos hospitais à indústria farmacêutica subiu em 2010, passando de cerca de 700 milhões de euros, em Janeiro, para 965,4 milhões em Dezembro.

De acordo com o estudo mensal de Dezembro da Associação Portuguesa da Indústria Farmacêutica, a que a Lusa teve acesso, a dívida que os hospitais públicos têm junto dos fornecedores de medicamentos só desceu no último mês do ano, tendo chegado a um valor inédito de 1060 milhões de euros em Novembro, só travado com a injecção, por parte do Governo, de capital nos hospitais para reduzir os valores em falta.

Desta dívida total, cerca de dois terços, correspondentes a 696 milhões de euros, está em falta há mais de 90 dias, o que mostra a dificuldade dos hospitais em saldarem os fornecimentos mais antigos.

Esta dificuldade, aliás, revela-se também no prazo médio de pagamento: desde Setembro, os hospitais demoram, em média, mais de um ano a pagar aos fornecedores de medicamentos, tendo fechado o ano com um atraso médio de 375 dias face à entrega dos medicamentos. Em Janeiro, os hospitais demoravam 290 dias.

02 de fevereiro de 2011

Fonte: LUSA/SAPO

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.