Um centro de hemodiálise vai ser construído no principal centro hospitalar da cidade de São Tomé, com financiamento da cooperação portuguesa, informou hoje fonte oficial.

A ministra são-tomense da Saúde que participou hoje na cerimónia de apresentação do protótipo de construção, juntamente com a embaixadora de Portugal na capital são-tomense, disse que o futuro centro de hemodiálise terá uma capacidade de tratamento de 20 doentes em cada sessão, que será feita três vezes por dia.

Ângela Pinheiro adiantou que as obras deverão arrancar já no próximo ano, mas antes está prevista um encontro na capital são-tomense entre técnicos nacionais e do Hospital de S. João do Porto, encarregado também da formação dos quadros são-tomenses para trabalhar no centro.

Para a embaixadora de Portugal, a construção de um centro de hemodiálise no hospital Aires de Menezes "é uma parceria importante na medida em que assegura as necessidades de São Tomé e príncipe e aprofunda e estreita o relacionamento” entre os dois países.

Não foi revelado o custo das obras, considerada pela ministra são-tomense da Saúde como um "instrumento que vai trazer vários benefícios para o Governo e para os pacientes".

Atualmente, São Tomé e Príncipe tem mais de 80 doentes em tratamento de hemodiálise em Portugal, com custos elevados para os dois países.

A perspetiva do Governo são-tomense é que esse centro de hemodiálise seja uma referência também para os países da região do Golfo da Guiné.

20 de setembro de 2012
@Lusa

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.