A Comissão Europeia aprovou essa combinação de medicamentos como tratamento de primeira linha para pacientes adultos diagnosticados com cancro do pulmão inoperável, com metástase ou recorrente, referiu um comunicado da empresa.

Os medicamentos destinam-se ao cancro do pulmão chamado de ‘não pequenas células’, não escamosas, acompanhado por uma mutação no recetor do fator de crescimento epidérmico.

Essa doença, que é a forma mais comum de cancro de pulmão, é diagnosticada em 23.000 pessoas na Europa a cada ano.

Leia também17 sintomas de cancro que os portugueses ignoram

Saiba ainda8 formas simples de reduzir o risco de cancro

Segundo um estudo de fase II, que representa a fase intermédia de ensaios clínicos, o risco de progressão da doença ou morte diminui em 46% em doentes tratados com esta combinação de drogas.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.