Em nota de imprensa enviada à agência Lusa, a Região de Coimbra diz que o projeto conta com a “colaboração direta do município de Vila Nova Poiares, escolhido pela sua dimensão e centralidade na região, onde serão instaladas mais de 200 armadilhas construídas pelos alunos de várias escolhas da região, no âmbito do projeto ClimAgir, financiado pelo POSEUR, Portugal 2020 e Fundo de Coesão”.

Vespa asiática: como reagir em caso de picada? As recomendações de uma médica
Vespa asiática: como reagir em caso de picada? As recomendações de uma médica
Ver artigo

“O objetivo passa por verificar o efeito direto das armadilhas na captura desta espécie, utilizando diferentes iscos (por exemplo, groselha, vinho branco e cerveja), e quantificar o efeito que esta medida preventiva terá na redução de ninhos de vespa asiática criados, com vista à sua replicabilidade do método por todo o território” da Região de Coimbra, refere o comunicado.

A comunidade intermunicipal destaca que a “vespa asiática constitui uma enorme ameaça para a abelha comum, sendo um predador para o qual a abelha não está preparada”.

“Por isso, é necessário o seu controlo para o equilíbrio da biodiversidade e dos ecossistemas, protegendo a abelha comum, responsável pela polinização, que mantém e fomenta o crescimento da nossa natureza, mas também pela produção de mel, produto de elevado valor para a região”, conclui.

A Região de Coimbra integra os municípios de Arganil, Cantanhede, Coimbra, Condeixa-a-Nova, Figueira da Foz, Góis, Lousã, Mealhada (distrito de Aveiro), Mira, Miranda do Corvo, Montemor-o-Velho, Mortágua (distrito de Viseu), Oliveira do Hospital, Pampilhosa da Serra, Penacova, Penela, Soure, Tábua e Vila Nova de Poiares.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.