Inicialmente prevista para entrar em vigor a 01 de março, a nova tabela de preços tem sido objeto de negociação entre a ADSE e os operadores privados, representados pela Associação Portuguesa de Hospitalização Privada (APHP), após uma proposta inicial ter sido recusada pelos convencionados.

10 coisas que sempre quis perguntar ao dentista (mas teve vergonha)
10 coisas que sempre quis perguntar ao dentista (mas teve vergonha)
Ver artigo

Com o objetivo de entrar em vigor a 01 de abril deste ano, a nova tabela foi agora publicada no site institucional da ADSE.

Ao tomar conhecimento desta divulgação, a APHP emitiu um comunicado, no qual afirma que a mesma “contém erros e imprecisões que carecem de revisão nos próximos dias”.

Temáticas não negociadas

Os operadores privados reiteram “a necessidade de rever as temáticas que não foram objeto de negociação ou sobre as quais já havia sido manifestado um desacordo de princípio por parte dos hospitais privados”.

“Cumprindo-se os princípios estabelecidos, haverá condições para encerrar adequadamente este processo negocial”, lê-se no comunicado.

Fonte da APHP disse à agência Lusa que não existe acordo em alguns atos praticados no âmbito da oftalmologia, cardiologia e no recurso ao médico especialista através da urgência.

Para que servem estas tabelas?

As tabelas de preços da ADSE são um modelo de pagamentos que é entregue aos hospitais e médicos privados com instruções sobre os valores a pagar pelos beneficiários e o respetivo pagamento que cabe à ADSE por cada procedimento.

A tabela, contestada pelos operadores privados, deveria ter entrado em vigor no dia 1 de março. Em vez disso, o documento entra em vigor a partir do dia 1 de abril.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.