O embaixador Pedro Nuno Bártolo anunciou a contribuição de Portugal durante uma reunião no escritório do Fundo Global, em Genebra.

Portugal comprometeu–se com 50.000 euros para 2016, duplicando a sua contribuição até agora no período de financiamento 2014-2016.

De acordo com Mark Dybul, diretor executivo do Fundo Global, “é muito importante que Portugal esteja de volta à mesa. Nós apreciamos os esforços de Portugal na parceria com o Fundo Global nesse ano importante”.

O país também contribui com assistência técnica a programas globais apoiados pelo Fundo em alguns países de língua portuguesa.

Na Guiné-Bissau, por exemplo, o Fundo Global e o Governo de Portugal estão a trabalhar em conjunto para fornecer assistência técnica.

Portugal é doador para o Fundo Global desde 2003. O total cumulativo de contribuição de Portugal é de aproximadamente 16 milhões de dólares (14,1 milhões de euros).

Este ano, aponta-se para contribuições totais no valor de 13 mil milhões de dólares (11,4 mil milhões de euros) para o ciclo de financiamento 2017-2019.

Assim, serão salvas até oito milhões de vidas, evitando perto de 300 milhões de infeções e novos casos de VIH, tuberculose e malária, e estabelecendo as bases para potenciais ganhos económicos de até 290 mil milhões de dólares (256,1 mil milhões de euros) nos próximos anos.

O Fundo Global é uma instituição internacional dedicada a atrair e distribuir recursos para prevenir e tratar o VIH/SIDA, a tuberculose e a malária.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.