Posicionado na rua de um hotel da capital transformado para atender pacientes com Covid-19, Miguel Ángel Taque, 26, valeu-se de um cartaz com a frase "O meu sorriso está pronto para quando voltares" para homenagear a noiva, Yoselin Solórzano, 24.

Taque contou à AFP que o casamento estava marcado para 15 de agosto, mas que o sonho teve que ser adiado. Para conter a pandemia, o governo proibiu confraternizações e eventos sociais, culturais e desportivos e mandou fechar igrejas, centros comerciais, escolas e universidades.

"O amor tudo pode", disse Taque sobre a solução que encontrou para expressar os seus sentimentos à noiva, que está a recuperar no centro habilitado pelo Instituto Guatemalteco do Seguro Social (IGSS). Ele tinha planeado fazer o pedido de casamento numa lancha, no lago de Amatitlán, mas a pandemia mudou os seus planos, motivo pelo qual ele fez o pedido via rede social e o anel de noivado foi entregue por uma empresa.

Yoselin contou pelo telefone à AFP que poderá deixar o hotel na próxima semana e cumprirá uma quarentena de 17 dias em casa. Ela é enfermeira e trabalha no hospital público de Puerto Barrios.

O casal remarcou a boda para 5 de dezembro, "se continuarmos a avançar para uma possível normalidade", assinalou a noiva. Segundo dados oficiais, a Guatemala soma 49.789 casos de Covid-19.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.