"O Tribunal da Guarda de Lérida concorda em não ratificar as medidas da Resolução de 12 de julho de 2020 adotadas pelo governo regional, por considerá-las contrárias ao direito", afirma a conta no Twitter do Tribunal Superior de Justiça da Catalunha. A decisão pode ser objeto de recurso.

"Estamos a analisar do ponto de vista jurídico para ver como resolvemos", declarou à imprensa a secretária de Saúde da região, Alba Verges.

"São medidas necessárias que não são adotadas por capricho de ninguém ou por prazer. Não faríamos se não fosse absolutamente necessário", completou, antes de pedir aos moradores da zona em que vivem quase 200.000 pessoas que permaneçam nas suas casas, apesar da decisão da justiça.

Esta é a primeira vez desde 21 de junho, quando terminou o confinamento geral na Espanha, que o confinamento domiciliar volta a ser decretado para uma área do país.

A zona afetada abrange Lérida e sete localidades ao redor, a 150 km de Barcelona.

Espanha é um dos países mais afetados do mundo pela pandemia, com 28.400 mortos.

No domingo as regiões da Galícia e do País Basco, norte do país, organizaram eleições com medidas reforçadas de higiene e centenas de eleitores excluídos por estarem infectados com o novo coronavírus.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.