O anúncio foi feito hoje pelo primeiro-ministro japonês, Yoshihide Suga, que justificou a decisão com a “diminuição do número de novas infeções e da ocupação de camas hospitalares”, após uma reunião do Governo com o grupo de especialistas na doença.

A ocupação de camas em hospitais por doentes infetados com covid-19 foi reduzida para menos de 50% e o número de casos mais graves caiu para metade em comparação com o pico máximo registado em agosto, observou Suga.

“Vamos fortalecer as medidas de prevenção do contágio para poder conciliá-las com o retorno ao quotidiano e continuaremos a promover a vacinação”, explicou Suga durante o encontro.

O estado de emergência será levantado no dia 01 de outubro nos 19 municípios onde está em vigor, e os alertas de nível inferior que afetam outras oito das 47 províncias do país também serão removidos, deixando todo o território livre de qualquer tipo de alerta de saúde pela primeira vez desde o dia 4 de abril.

Apesar do levantamento dos alertas, as restrições serão mantidas, embora progressivamente amenizadas dependendo do território. Na prática, isso levará a uma normalização dos horários comerciais e da assistência permitida em eventos públicos.

O estado de emergência japonês nunca levou ao confinamento, embora as autoridades tenham pedido à população para limitar as saídas de casa.

As medidas preventivas são dirigidas sobretudo a bares, restaurantes e karaokes, que, em estado de emergência, têm de antecipar o horário de fecho para as 20:00 e não servir bebidas alcoólicas.

Durante o mês seguinte ao levantamento do alerta de saúde, o Governo central continuará a solicitar a redução do horário comercial, mas em troca de subsídios.

No que diz respeito a eventos desportivos e religiosos, o Governo permite atualmente a presença de 5.000 pessoas, número que aumentará para 10.000 ou metade da capacidade das instalações assim que o alerta for levantado.

Os contágios diários por covid-19 no Japão têm diminuído continuamente, após terem atingido um pico de 25.876 casos, em 20 de agosto.

Na segunda-feira, o número de novos casos foi de 1.147 pessoas.

No que se refere à vacinação, de acordo com os dados mais recentes, mais de 72,4 milhões de pessoas, ou 57,2% da população japonesa, já receberam o esquema completo.

O anúncio do levantamento do estado de emergência acontece na véspera das primárias do Partido Liberal Democrático (PLD), em que o sucessor de Suga será escolhido como líder do Governo nacional, no período de transição até às legislativas que deverão acontecer antes do final de novembro.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.