O aeroporto de Fiumicino de Roma informou, nesta quinta-feira (26), que assinou um acordo com a companhia aérea italiana Alitalia e com a americana Delta Air Lines para a realização destes voos especiais entre algumas cidades norte-americanas e a capital italiana, a partir do próximo mês.

Voos semelhantes serão organizados entre Roma, Munique e Frankfurt, segundo a fonte.

Desde setembro, voos domésticos "livres" do coronavírus são realizados entre Roma e a capital financeira do país, Milão.

Os primeiros voos experimentais dos Estados Unidos para Roma "serão progressivamente oferecidos aos passageiros, a partir de dezembro", diz o comunicado da Aeroporti di Roma (ADR).

"A fase experimental terá como objetivo avaliar a eficiência e a funcionalidade do novo modo de transporte, para aumentar a sua disponibilidade perante a temporada de verão de 2021", acrescenta a mesma fonte.

O ADR prevê que os passageiros que chegarem desta forma dos aeroportos dos Estados Unidos poderão evitar a quarentena obrigatória imposta aos viajantes procedentes deste país, se tiverem realizado um teste 48 horas antes de iniciar a viagem, e outro, após a aterragem em Roma.

O aeroporto romano oferece testes rápidos de antigénio aos passageiros. O resultado sai em 30 minutos.

O ar dentro de um avião: como são eliminados vírus e bactérias?

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.