O Ministério da Saúde vai pagar mais aos hospitais e aos profissionais de saúde para incentivar o tratamento cirúrgico da obesidade e para reduzir os tempos de espera. A notícia é avançada hoje pelo Jornal de Notícias.

Além de pagar mais às equipas multidisciplinares que levam a cabo estas cirurgias, o Governo vai também pagar aos hospitais a realizada de duas técnicas cirúrgicas que são mais eficazes no tratamento da obesidade do que a banda gástrica.

25 truques inimagináveis para perder peso
25 truques inimagináveis para perder peso
Ver artigo

Um doente com obesidade grave espera hoje, em média, seis meses por uma cirurgia, sendo que no final de junho havia 1.350 doentes à espera de serem operados, mas o Governo espera reduzir o tempo de espera com estes novos incentivos, escreve o referido jornal.

O Estado vai começar a financiar duas novas técnicas — sleeve e derivação bílio-pancreática e transposição duodenal — e a remuneração será partilhada com as equipas, numa percentagem de entre 35% e 55%, explicou àquele jornal Ricardo Mestre, da Administração Central do Sistema de Saúde.

Esta medida permitirá aos hospitais que fazem mais cirurgias para tratar a obesidade criar centros de responsabilidade integrados, ou seja, unidades autónomas dentro do centro hospitalar exclusivamente para este tipo de tratamentos.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.