O presidente da Póvoa de Varzim, Aires Pereira, prevê que o concurso para a empreitada seja lançado ainda este ano, para que as obras arranquem no início de 2020, e classifica o momento de “histórico e de grande regozijo para a população".

"É o corolário de um processo longo, mas que foi ao encontro do que sempre defendemos. Deixamos de andar com o 'coração nas mãos' a pensar que podemos perder valências. Pelo contrário, vamos ganhar espaço e poder receber novas especialidades", sublinhou o autarca.

Aires Pereira explicou que o acordo implica a cedência de um edifício contíguo, que pertence à autarquia, que será requalificado para albergar algumas das valências, nomeadamente as consultas externas, permitindo desafogar espaço no edifício principal, onde se situa, por exemplo, o serviço de urgência permanente médico-cirúrgico.

Nesta operação, o Ministério da Saúde avança com uma verba a rondar os 3,5 milhões de euros, cabendo ao município da Póvoa de Varzim investir 1,5 milhões, além da execução do projeto e da cedência das instalações contíguas.

"Será feita a requalificação do edifício das antigas oficinas militares, que pertence à Câmara, e que terá mais um piso, e a construção de uma ligação [tipo ponte] ao edifício do hospital. Com isso, as instalações das consultas externas passam para o edifício contíguo, permitindo ter maiores e melhores condições para a urgência", analisou Aires Pereira.

O protocolo com a tutela será assinado na próxima semana e o autarca acredita que esta seja apenas a primeira de várias intervenções no hospital local para que "os cuidados do Serviço Nacional de Saúde (SNS) à população tenham melhores condições para os utentes e profissionais".

Aires Pereira partilhou, também, que o polo do centro hospitalar no concelho vizinho de Vila do Conde terá, igualmente, obras de requalificação, reconhecendo que "será difícil" a construção de um novo hospital que centralize os cuidados de saúde aos dois concelhos, e que chegou a ser equacionado por governos anteriores.

"O próximo Governo ira tomar essa decisão, mas temos a consciência que Portugal não nada em dinheiro para esse financiamento e que as PPP [Parecerias Publico Privadas] foram um enorme buraco para o país", disse o presidente de Câmara.

O Centro Hospitalar da Póvoa de Varzim/Vila do Conde serve estes dois concelhos no litoral norte do país, abrangendo mais de 150 mil pessoas que residem nestes municípios do distrito do Porto.

Com estas intervenções de requalificação e ampliação dos edifícios, o centro hospitalar terá condições para manter todas as especialidades, como também receber novas valências.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.