O que precisa de saber sobre o furacão Leslie:

- 820 ocorrências registadas pela Proteção Civil em Leiria, Coimbra e Lisboa; centenas de quedas de árvores; 15 mil pessoas sem eletricidade; A1 esteve cortada no sentido norte-sul no nó de Soure devido à queda de uma árvore mas já foi reaberta; há 50 desalojados em parque de campismo de Alcobaça; são estes, para já, os efeitos conhecidos da passagem do Leslie em Portugal Continental

Recomendações

A Autoridade Nacional de Proteção Civil (ANPC) recomenda que entre as 23h00 de sábado e as 04h00 de domingo não saia de casa.

A ANPC aconselha que se evite completamente o trânsito em zonas costeiras. A agitação marítima vai manter-se elevada nas próximas horas.

A Autoridade Marítima desaconselha a pesca recreativa e pediu à comunidade piscatória que se encontra no mar para regressar ao porto de abrigo mais próximo.

A Direção-Geral da Saúde (DGS) recomenda a utilização de calçado confortável para evitar quedas nos dias de vento e chuva. Tenha em atenção ao piso molhado ou escorregadio.

Vigie crianças e idosos.

- Proteção Civil deixa 8 medidas preventivas para a população

- O Furacão Leslie deixou de ser uma tempestade tropical e passou a ser uma depressão pós-tropical, o que significa que perdeu intensidade; os ventos podem atingir os 190 km/h segundo o IPMA; mar com previsão de ondulação de 6 a 12 metros de altura

- Pico da tempestade será entre as 21h00 de sábado e as 04h00 de domingo; 13 distritos estão sob aviso vermelho

- É a terceira vez que um furacão tão poderoso atinge Portugal. Este é o mais forte desde 1842

01h30: Fechamos aqui o ao minuto sobre a chegada do Leslie a Portugal Continental

01h00: A Proteção Civil regista até ao momento 820 ocorrências, a maioria são quedas de árvores nos distritos de Leiria, Coimbra e Lisboa. O comandante Rui Laranjeira, da Autoridade Nacional de Proteção Civil, diz que nas operações ano terreno estão envolvidos mais de 2.800 operacionais. Há 506 árvores derrubadas e registo de 258 quedas de estruturas. Leiria, com 191 ocorrências, Coimbra, com 139, e Lisboa, com 133, são os distritos mais afetados pela força do vento. Coimbra, de acordo com este responsável pela ANPC, foi o distrito onde houve o maior número de ocorrências em menor tempo. Ainda no distrito de Coimbra estão cortadas várias estradas nacionais devido à queda de árvores. O IC2 está cortado ao trânsito nas zonas de Pombal, Leiria e Albergaria-a-Velha.

00h52: Quedas de árvores, telhas de casas destruídas pela força do vento e infiltrações de água são até ao momento os "maiores problemas" verificados no Grande Porto devido à passagem do furacão Leslie. Em Matosinhos o panorama não difere muito, com os Bombeiros de Matosinhos e Leça a dar conta de chamadas a pedir ajudar por "as telhas dos telhados das suas casas terem voado". Ainda junto à costa marítima, em Vila Nova de Gaia a força do vento "ditou a queda de árvores e de postes de eletricidade" foram as ocorrências mais graves divulgadas pelos Bombeiros Sapadores locais. Em Gondomar, e apesar do vento forte se fazer sentir, os bombeiros locais "não registaram até às 00h30 qualquer pedido de ajuda".

00h48: A circulação na Autoestrada do Norte (A1) já foi reaberta, informa a Guarda Nacional Republicana no Twitter. A estrada esteve na noite de sábado cortada ao trânsito, ao quilómetro 163, no nó de Soure, no sentido norte-sul, devido à queda de um eucalipto de grande porte na via.

00h43: A ligação fluvial entre Cais do Sodré e Cacilhas foi suspensa devido ao mau tempo e à forte agitação marítima. Também as ligações fluviais entre a Trafaria, Porto Brandão e Belém, no rio Tejo, foram encerradas na noite de sábado. As ligações entre o Montijo e o Seixal fizeram-se sem transtornos.

00h21: O Comandante da Proteção Civil, Luís Belo Costa, diz que o maior volume de estragos ocorreu nos distritos a norte de Lisboa, ou seja, Leiria e Coimbra. Há três parques de campismo fechados devido aos danos causados: dois em Leiria e um em Coimbra. "Há várias zonas sem luz" e "ainda não podemos dizer que o pior já passou", frisa Luís Belo Costa que pede às populações para não saírem de casa.

Ainda não podemos dizer que o pior já passou

00h08: O furacão Leslie provocou cerca de 50 desalojados no parque de campismo de Água de Madeiros, em Alcobaça, no distrito de Leiria, segundo o Comando Distrital de Operações de Socorro (CDOS) de Leiria. As 50 pessoas estão a ser acompanhadas pelos serviços da Proteção Civil de Alcobaça. O CDOS informou também que, no distrito de Leiria, se têm registado "vários acidentes rodoviários, na sequência das inúmeras quedas de árvores".

00h06: Às redes sociais começam a chegar as primeiras imagens dos estragos. Esta foto foi recolhida em Lisboa:

00h03: Cerca de 30 voos foram cancelados sábado à noite, nos aeroportos de Lisboa e do Funchal, segundo informação disponível no portal da ANA - Aeroportos de Portugal.  Sem mencionar números, o porta-voz da ANA, Rui Oliveira, disse à Lusa que o mau tempo esteve na origem de "praticamente todos os voos cancelados". Foram canceladas durante a noite de sábado no aeroporto de Lisboa 19 chegadas e oito partidas de voos. No aeroporto do Funchal foram canceladas duas aterragens. O jornal Público dá conta do cancelamento de 12 voos (cinco partidas e sete chegadas) no Aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto.

00h02: Rajadas atingiram os 176 km/h na Figueira da Foz, revelou Diamantino Henriques, delegado regional do Instituto Português do Mar e Atmosfera (IPMA) e delegado nacional da Comissão Internacional de Furacões, em declarações à SIC Notícias. Ainda de acordo Diamantino Henriques, "o pior já terá passado em termos de intensidade". "No entanto, as regiões onde [o Leslie] irá passar nas próximas horas irão sentir um aumento significativo da velocidade do vento".

23h54: A Autostrada do Norte (A1) está cortada devido à queda de uma árvore - um eucalipto - no quilómetro 163, no sentido Norte-Sul. A circulação foi suspensa entre Condeixa-a-Nova e Pombal, informa a TSF.

Fonte da GNR acrescentou à Lusa que na A1, ao quilómetro 191, no sentido sul/norte, na zona da Mealhada, distrito de Aveiro, há uma viatura imobilizada na estrada e uma árvore caída na via, e ao quilómetro 180, no entido sul/norte, na zona de Condeixa-a-Nova, distrito de Coimbra, há sinais de trânsito caídos na via. Na A17, que liga Leiria a Aveiro, há várias árvores caídas ao longo desta via, o que está a "condicionar" a circulação, segundo a GNR.

23h49: A interrupção das ligações fluviais para Tróia (Grândola) foi a ocorrência "mais relevante" no distrito de Setúbal, disse o comandante distrital das Operações de Socorro. "O que de mais relevante aconteceu até agora [cerca das 23:00] foi a suspensão, esta noite, de todas as carreiras fluviais no rio Sado, entre Setúbal e Tróia, que só vão reabrir amanhã de manhã [domingo]", comentou Eliseu Oliveira.  

23h40: A passagem do furacão Leslie pela zona da Figueira da Foz provocou grandes estragos na cidade, nomeadamente a queda de árvores e estruturas, além da invasão das avenidas junto ao mar por areia. A Lusa presenciou 30 minutos de caos na marginal de Buarcos, Figueira da Foz, com caixotes e lixo, sinais de trânsito e outras estruturas, como cadeiras e grades de trânsito, a serem projetados ao ar pelo vento forte. Pelas 22h45, o vento parou em absoluto na cidade, que se mantém sem eletricidade.

23h30: Às redes sociais começam a chegar as primeiras imagens dos estragos. Esta foto foi recolhida em Lisboa:

23h15: EDP confirma que há mais de 15 mil habitações sem energia elétrica. "Tem havido um agravamento significativo das condições, o que deixa cada vez mais pessoas sem energia, estamos a atualizar os dados a cada dez minutos", informou a diretora de comunicação da EDP Distribuição, Fernanda Bonifácio.

Temos equipas de emergência no terreno, mas só quando as coisas acalmarem é que conseguiremos avaliar

Segundo a mesma fonte, o maior número de habitações afetadas localiza-se nos concelhos de Pombal, Marinha Grande e Leiria, no distrito de Leiria. "Só será possível ter uma noção mais clara na madrugada [de domingo], quando se conseguirá fazer uma avaliação. Temos equipas de emergência no terreno, mas só quando as coisas acalmarem é que conseguiremos avaliar", afirmou. Também na região da grande Lisboa há registo de falhas de energia elétrica nos concelhos de Loures e Lisboa.

23h14: Às redes sociais começam a chegar as primeiras imagens dos estragos.

22h45: Segundo a Proteção Civil, o Furacão Leslie provocou até ao momento a queda 120 árvores nos distritos de Setúbal, Lisboa e Leiria. "Esperamos agora que a partir deste momento passe a afetar Coimbra e Aveiro", alerta o comandante de serviço da Proteção Civil, Luís Belo Costa. Há 247 ocorrências relacionadas com o Leslie registadas em todo o país.

22h37: Ventos fortes provocaram estragos na marginal de Buarcos, Figueira da Foz. A intensidade do vento aumentou por volta das 22h00 e levantou uma cobertura de uma esplanada junto a uma unidade hoteleira desta cidade do distrito de Coimbra. Nesta zona da cidade não há eletricidade. No distrito de Leiria, há também registo de várias quedas de árvores, assim como no distrito da Guarda, Coimbra ou Viseu.

22h20: A TVI 24 avança que há 15 mil clientes da EDP sem luz em casa. As falhas de abastecimento foram registadas nas regiões de Lisboa, Pombal, Leiria e Setúbal.

22h07: Árvores derrubadas na Avenida Marginal, entre Lisboa e Cascais, avança a RTP que cita fonte da Câmara Municipal de Oeiras. No site da Proteção Civil é possível observar o registo de várias ocorrências relacionadas com a queda de árvores nos distritos de Lisboa e Leiria.

21h55: O centro da tempestade está a passar ao largo da Figueira da Foz. Segundo o Centro Nacional de Furacões do serviço meteorológico norte-americano, a rota prevista aponta em direção a nordeste, devendo atravessar os distritos de Aveiro, Porto, Vila Real e Bragança. O furacão está a avançar a 56 km/h, com ventos de 110 km/h e rajadas fortes.

NHC
créditos: NHC/NOAA/GOV

21h45: Foi encerrada a ligação fluvial entre a Trafaria, Porto Brandão e Belém, no rio Tejo, devido ao mau tempo e à forte agitação marítima. Segundo Margarida Perdigão, responsável da Transtejo Soflusa, "esta é a ligação [entre as duas margens do Tejo] mais próxima do mar" e "encontra-se encerrada". Quanto às restantes ligações fluviais entre as duas margens do Tejo, mantêm-se operacionais.

21h36: O trânsito foi reaberto nos dois sentidos da Avenida Marginal. Ao início da noite, depois de o mar ter galgado a estrada, a Autoridade Marítima viu-se obrigada a encerrar a circulação num dos sentidos daquela importante via de acesso a Lisboa-Cascais.

21h35: O presidente do IPMA, Jorge Miranda, prevê "uma noite complicada". Peniche é a localidade mais exposta à tempestade neste momento. Em entrevista à RTP, às 22h30 podem acontecer "fenómenos gravosos".

21h00: No Twitter, a conta @meteorologia (que não pertence ao IPMA) partilha uma imagem de radar registada entre as 19h e as 20h deste sábado que mostra a tempestade Leslie a dirigir-se para Norte, aproximando-se de Coimbra, Aveiro e Porto.

20h54: A marginal entre a Parede e Carcavelos foi encerrada ao trânsito ao início da noite de hoje no sentido Cascais-Lisboa devido à ondulação, informa fonte da PSP. O encerramento ao trânsito daquele troço da Marginal foi decidido pela Polícia Marítima.

20h43: Nove barras estão fechadas a toda a navegação e seis estão condicionadas, informa o portal da Autoridade Marítima Nacional, cuja atualização foi feita às 18h26. As nove barras encerradas a toda a navegação são as de Aveiro, Caminha, Esposende, Figueira da Foz, Vila Praia de Âncora, Póvoa do Varzim, Vila do Conde, Portinho da Ericeira e São Martinho do Porto. As barras do Douro, Viana do Castelo, Lisboa, Faro/Olhão, Quarteira e Vilamoura estão condicionadas.

20h30: Fique com algumas imagens da aproximação do Leslie a território continental.

20h05: O comandante da Proteção Civil, Luís Belo Costa, admite a possibilidade de encerrar as pontes de Lisboa, embora tal decisão seja da inteira responsabilidade das concessionárias com quem esta autoridade nacional "está em articulação".

Perdeu intensidade, mas ganhou velocidade e vai chegar mais rapidamente a terra do que era previsto

O Leslie "perdeu intensidade, mas ganhou velocidade e vai chegar mais rapidamente a terra do que era previsto", disse Belo da Costa ao início da noite. A trajectória do Leslie foi alterada e afetará mais a zona a norte de Lisboa, "numa faixa entre Setúbal e Porto". Belo Costa renovou também o apelo para que se evite a circulação rodoviária nas horas tidas como críticas - das 21h00 às 04h00. Anteriormente, havia a previsão de que o furacão passasse na faixa entre Sines e Leiria, mas, devido à mudança de rota, é expectável que os efeitos do furacão se façam sentir mais a norte, ou seja, entre Setúbal e o Porto.

19h57: A EDP-Energias de Portugal adverte que o fornecimento de eletricidade poderá ser afetado "de forma significativa". A EDP Distribuição ativou o estado de alerta em Portugal continental, reforçando as equipas operacionais de prevenção e suspendendo os cortes de eletricidade programados.

19h51: Foi cancelado o espetáculo "Revenge of The 90's", que estava marcado para esta noite na Feira Internacional de Lisboa (FIL). A organização do evento considera não estarem reunidas as condições de segurança para a realização do evento. O espetáculo foi adiado para o próximo sábado.

19h49: A RTP 3 avança que as autoridades vão fechar a Ponte 25 de Abril e a Ponte Vasco da Gama, em Lisboa, devido ao agravamento o estado do tempo.

19h21: O presidente do Serviço Regional da Proteção Civil da Madeira afirmou que a região "passou incólume" à passagem do furacão Leslie. "Não tivemos ocorrências de relevo a registar", disse José Dias em conferência de imprensa na qual fez "um balanço extremamente positivo" da operação de prevenção montada pelas autoridades. Aqui fica uma imagem partilhada pela RTP Madeira:

19h14: Segundo o Centro Nacional de Furacões (NHC/NOAA) do serviço meteorológico dos Estados Unidos, o furacão Leslie passou a depressão pós-tropical, perdendo por isso alguma da sua intensidade. No entanto, o aviso de ventos fortes com rajadas que podem chegar aos 190 km/h mantém-se.

NHC
créditos: NHC/NOAA/GOV

18h59: O pavilhão da Academia da Estrela, em Lisboa, vai estar aberto para acolher pessoas em situação de sem-abrigo, disse o presidente da Junta de Freguesia da Estrela. À agência de notícias Lusa, Luís Newton disse que o pavilhão está preparado para receber até 30 pessoas. As equipas de apoio social da Junta de Freguesia estão a sensibilizar os sem-abrigo para saírem da rua. A Refood Estrela está a prestar apoio, através da preparação de refeições, para que as pessoas possam ser recebidas no complexo desportivo.

18h54: A Autoridade Nacional de Proteção Civil está enviar mensagens de aviso às pessoas que estão em zonas perigosas (junto à orla marítima). "O furacão Leslie vai atravessar o território nacional a partir das 18h00. Proteja-se e siga as recomendações da proteção civil", lê-se nos SMS enviados.

18h36: O ministro da Administração Interna, Eduardo Cabrita, acompanha na sede da Autoridade Nacional de Proteção Civil o ponto de situação da passagem do furacão Leslie pelo território português.

18h14: A SIC Notícias avança que as autoridades admitem fechar a Ponte 25 de Abril, em Lisboa, durante a madrugada.

18h01: Segundo o jornal Público, três feridos na Madeira é o resultado da passagem do furacão Leslie no arquipélago. Estão os três livres de perigo. Uma mulher terá caído ao mar. Duas pessoas tentaram salvá-la. Foram os três rasgados com ferimentos.

17h44: A programação da 51.ª edição da ModaLisboa prevista para o exterior do Pavilhão Carlos Lopes, aberta ao público em geral, foi cancelada devido ao mau tempo, mantendo-se o calendário de desfiles, que decorrem no interior do edifício.

17h40: A Autoridade Nacional de Proteção Civil e a Autoridade Marítima Nacional apresentaram uma série de medidas preventivas contra o furacão Leslie. Tome nota: 8 medidas para se prevenir contra o furacão Leslie

17h21: O presidente da Câmara de Lisboa Fernando, Medina, apelou a que as esplanadas sejam recolhidas até às 18h00 e que se evite a passagem na zona da frente ribeirinha, devido ao mau tempo previsto com a passagem do furacão Leslie.

17h20: O presidente da Câmara de Lisboa, Fernando Medina, ativou um plano de proteção para pessoas sem-abrigo. "Todas as unidades de acolhimento temporário vão estar abertas e todas as brigadas de rua vão estar em ação para sensibilizar as pessoas em situação de sem-abrigo para recolherem a esses centros de acolhimento", afirmou em conferência de imprensa.

As estações de Metro do Saldanha e de Arroios estarão abertas com uma área dedicada para que as pessoas sem-abrigo possam ter um espaço em segurança, "no qual passar este conjunto de horas (…) mais críticas", em particular entre as 21h00 de hoje e as 03h00 de domingo.

17h18: O furacão Leslie obrigou a alterações na organização das provas de atletismo da maratona e da meia maratona de Lisboa, agendadas para amanhã. As partidas serão atrasadas em uma hora. A partida da meia e mini maratona será num local diferente, no IC2, em vez de ser no tabuleiro da ponte Vasco da Gama, e será atrasada em uma hora, passando das 10h30 horas, para as 11h30 horas.

17h13: Pelo menos 38 voos cancelados no Aeroporto de Lisboa - 20 partidas e 18 chegadas - avança o jornal Público que cita fonte a ANA - Aeroportos de Portugal.

Os voos cancelados do aeroporto de Lisboa tinham os seguintes destinos: Madeira (a partida estava prevista para as 13h30), Roma (15h35), Veneza (15h35), Madeira (16h05), London Heathrow (16h10), Paris Orly (16h40), Madeira (17h30), Astúrias (17h40), Málaga (18h35), Madeira (18h50), Madeira (19h25), Porto (20h), Madeira (21h50), Sevilha (22h15), Tanger (23h), Madeira (23h10), Amesterdão (5h de domingo), Frankfurt (5h05), Paris Charles de Gaulle (5h40) e Paris Orly (5h55).

Já os voos que estavam previstos chegar ao aeroporto de Lisboa eram provenientes dos seguintes destinos: Madeira (com chegada prevista para as 14h50), Madeira (17h35), Madeira (20h10), Astúrias (21h55), Frankfurt (22h), Nice (22h10), Nantes (22h15), Paris Charles de Gaulle (22h20), Paris Orly (22h20), Roma (22h20), Veneza (22h20), Porto (22h30), London Heathrow (22h30), Paris Orly (22h35), Lille (22h35), Amesterdão (22h50), Madeira (22h50), Madeira (23h30).

17h10: O INEM ativou às 16h00 a Sala de Situação Nacional para acompanhar e articular com as restantes entidades de proteção civil os efeitos da passagem do furação Leslie por Portugal. “O INEM está a ativar as medidas de contingência, o que passa por acompanhar a situação a nível nacional com a ativação da sala, tal como fazemos com os incêndios”, afirmou Bruno Borges, coordenador da UPEC (unidade do INEM que gere os eventos mais complexos). Bruno Borges explicou que a Sala de Situação Nacional do INEM tem por base fazer a articulação estratégica com as outras entidades, nomeadamente com o comando nacional de operações de socorro da Proteção Civil, PSP e GNR.

13 distritos sob aviso vermelho

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) colocou 13 distritos sob aviso vermelho por previsão de vento forte, e alguns também por agitação marítima, consequência da passagem por território continental do furacão Leslie.

Setúbal, Lisboa, Leiria, Coimbra, Aveiro, Porto, Braga, Viana do Castelo, Vila Real, Castelo Branco, Viseu e Guarda e Santarém são os distritos sob aviso vermelho, segundo as informações disponíveis na página na internet do IPMA. Os distritos que entram em aviso vermelho mais cedo são os de Setúbal, Lisboa, Santarém, Leiria, Coimbra, Aveiro, com o aviso relativo a ventos fortes a vigorar a partir das 21h00 até às 03h00 de domingo, nos restantes distritos o aviso vigora a partir da meia-noite de sábado para domingo.

Setúbal, Lisboa, Leiria e Coimbra estão também sob aviso vermelho por agitação marítima a partir das 22h00 e até às 03h00 de domingo.

De acordo com a previsão do modelo do Centro Europeu, o furacão Leslie irá começar a fazer-se sentir no território do continente a partir das 18 horas na região da grande Lisboa, deslocando-se com a velocidade de cerca de 60 km/h para nordeste, perdendo intensidade e passando a categoria de tempestade pós-tropical. No entanto, as áreas entre Sines e Figueira da Foz podem ser afetadas por rajadas de vento de 190 km/h.

"É um risco baixo, de apenas 10%, mas existe. Os ventos podem atingir os 180 ou 190 km/h", alerta Bruno Café do IPMA.

"A passagem do Leslie será marcada por vento forte e precipitação, pelo que é absolutamente necessário que sejam seguidas todas as indicações da Autoridade Nacional de Proteção Civil. O Centro Europeu é uma organização intergovernamental na qual Portugal é representado pelo Instituto Português do Mar e da Atmosfera", alerta o Instituto Português do Mar e da Atmosfera.

NHC
A última atualização da trajetória do Leslie pelo Centro Nacional de Furacões do serviço meteorológico norte-americano créditos: NHC/NOAA/GOV

Segundo o Centro Nacional de Furacões norte-americano (NHC/NOAA), o centro do furacão Leslie vai "aproximar-se da porção sudoeste da Península Ibérica na noite de sábado e deslocar-se para o interior da Península [Ibérica] no domingo". Quando atingir o continente, o Leslie será "um poderoso ciclone extra tropical", esclarece.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.