Os cigarros eletrónicos que contêm nicotina podem aumentar o risco de enfarte e acidente vascular cerebral (AVC), revelam investigadores suecos.

O estudo em causa descobriu que o uso desses dispositivos pode levar ao endurecimento das artérias, assim como aumentar o ritmo cardíaco e a pressão arterial.

Os cientistas suecos recrutaram 15 voluntários saudáveis para participarem numa experiência. Nenhum deles tinha usado um cigarro eletrónico antes.

Os testes descobriram que 30 minutos depois da exposição ao fumo do dispositivo, havia um aumento significativo da pressão sanguínea, da frequência cardíaca e da rigidez das artérias.

No entanto, não se registaram os mesmos efeitos nos voluntários que usaram cigarros eletrónicos sem nicotina.

Ao apresentar o estudo durante o Congresso Internacional da Sociedade Europeia Respiratória, em Milão, Itália, o autor do estudo, Magnus Lundback, admitiu: "O número de utilizadores de cigarros eletrónicos tem crescido drasticamente nos últimos anos. O aparelho é considerado inofensivo para o público em geral e a indústria vende o produto como o caminho saudável para reduzir os perigos do cigarro e a solução para os fumadores".

"Entretanto a segurança destes dispositivos tem sido debatida e tem surgido um número crescente de efeitos secundários", acrescenta.

O investigador salienta ainda que os efeitos secundários do consumo de cigarros eletrónicos podem ser permanentes, escreve o Guardian.

Veja ainda: 15 passos para deixar de fumar num ápice

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.