Em certas condições e concentrações, alguns conservantes, perfumes e outros ingredientes usados nos cosméticos são suspeitos de desregular as hormonas e podem causar irritações ou alergias.

O risco aumenta quando o produto se destina a permanecer na pele, como cremes, desodorizantes, protetores solares e maquilhagem. Há um risco menor, mas também presente, em produtos laváveis, como géis de banho, champôs, sabonetes, cremes de barbear e pastas de dentes.

Posso ou não posso sacudir o tapete à janela?
Posso ou não posso sacudir o tapete à janela?
Ver artigo

Na altura de escolher, o rótulo é o melhor aliado. Tendo o princípio de precaução em mente, ao conhecer o potencial risco de cada substância, consegue ponderar as alternativas mais seguras. Os utilizadores mais vulneráveis são as grávidas e as crianças até aos 3 anos, que ainda não têm as defesas bem desenvolvidas. Saiba como descodificar as promessas do rótulo.

Hormonas desreguladas

O que mais tem alarmado os consumidores é o potencial risco de alguns ingredientes presentes nos cosméticos poderem desregular o sistema hormonal. Ao alterarem o funcionamento do sistema hormonal, podem afetar o crescimento e o metabolismo e causar, por exemplo, problemas de fertilidade. Os parabenos, substâncias conservantes, são os mais conhecidos do grupo, mas nem todos são perigosos.

O methylparaben e o ethylparaben, por exemplo, nas quantidades permitidas nos cosméticos, não apresentam risco para a saúde. No entanto, por precaução, não são recomendados a grávidas e a bebés.

O propylparaben e o butylparaben apresentam um nível de risco mais elevado. São substâncias proibidas em produtos para aplicar na zona da fralda dos bebés e devem ser evitados em cosméticos que ficam na pele.

Faltas ao trabalho por questões de saúde: conheça os seus direitos
Faltas ao trabalho por questões de saúde: conheça os seus direitos
Ver artigo

O ethylhexyl methoxycinnamate (OMC), usado em muitos protetores solares, também pode perturbar o funcionamento das hormonas quando em elevadas quantidades.

A Comissão Europeia identificou uma lista de 26 substâncias suscetíveis de causarem alergias. Os cosméticos que as incluem devem ser evitados por pessoas com pele sensível ou com tendência a alergias, e por crianças até aos 3 anos.

Os produtos que anunciam butylphenyl methylpropional na composição são dos mais suscetíveis a causar irritações e a induzir sensibilidade para alergias.

Outros, como os antitranspirantes, contêm sais de alumínio, mas não está demonstrado que sejam prejudiciais para a saúde. Os sais de alumínio podem adulterar o resultado das mamografias ao causarem o aparecimento de manchas, que erradamente se associam ao cancro. Para evitar más interpretações, evite usar antitranspirantes quando fizer o exame.

De manhã é ouro, à tarde é prata e à noite mata? Os mitos sobre as laranjas
De manhã é ouro, à tarde é prata e à noite mata? Os mitos sobre as laranjas
Ver artigo

Escolha pelo rótulo

Na altura de escolher um cosmético, não se fixe no preço nem se deixe influenciar pela publicidade. Nem sempre o produto mais caro e com embalagens mais bonitas ou com elementos naturais é o melhor. Preocupe-se com a informação dos ingredientes no rótulo.

Na maioria dos casos, a água é o ingrediente principal dos produtos, por isso, vem no topo da lista do rótulo. Os ingredientes com concentração superior a 1% têm de ser indicados por ordem decrescente de quantidade.

Evite produtos que apresentem fragrâncias no início da lista dos componentes. Os corantes vão aparecer no fim e começam sempre pela designação CI, seguida de um número. Os conservantes estão presentes em quase todos os cosméticos, por isso não se deixe influenciar pela referência “sem parabenos”, que não significa produto isento de conservantes.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.