O balanço oficial eleva o total de mortes pela covid-19 para 4.958, precisou o porta-voz do Ministério da Saúde, Kianouche Jahanpour, na conferência de imprensa diária.

Este foi o sexto dia consecutivo de recuo do número de mortes no Irão, onde foram detetados 1.499 novos casos nas últimas 24 horas, elevando para 79.494 o número total de pessoas infetadas num total de 319.879 pessoas testadas, indicou Jahanpour.

Entre os casos que implicaram internamento hospitalar, 54.064 pessoas estão recuperadas e 3.563 permanecem em estado crítico, acrescentou.

Desde o anúncio dos primeiros números em meados de fevereiro, diversas entidades no estrangeiro assinalaram que os números oficiais iranianos podiam estar subestimados.

Na terça-feira, o relatório de um centro de investigação do parlamento de Teerão indica que os números divulgados oficialmente são unicamente baseados em casos hospitalizados que apresentam “sintomas graves”.

Segundo o relatório, o balanço de mortes será superior em 80% face aos números anunciados pelo Governo, e o número de infeções “oito a dez vezes” mais.

O Ministério da Saúde conformou que os números poderão ser mais devido ao número limitado de testes, mas rejeitou as acusações de estimativas baseadas num “modelo incorreto”.

O Governo iraniano enfrenta em simultâneo a pandemia e as sanções norte-americanas que estrangulam a sua economia desde que foram reimpostas em 2018, após a retirada unilateral dos Estados Unidos do acordo internacional sobre o nuclear iraniano.

Na República Islâmica permanecem encerradas escolas e universidades, proibidos os grandes eventos e concentrações públicas e ainda vigoram diversas restrições de movimento, apesar de o Governo não ter imposto o confinamento.

O pequeno comércio foi autorizado a reabrir nas províncias e as empresas de “baixo risco” devem começar a funcionar em Teerão a partir de sábado.

Esta decisão, criticada por especialistas e em círculos do poder, foi defendida pelo Governo como necessária para contrariar o declínio da economia.

A nível global, a pandemia de covid-19 já provocou mais de 145 mil mortos e infetou mais de 2,1 milhões de pessoas em 193 países e territórios. Mais de 465 mil doentes foram considerados curados.

Os Estados Unidos são o país com mais mortos (33 mil) e mais casos de infeção confirmados (671 mil).

Seguem-se Itália (22.170 mortos, em 168.941 casos), Espanha (19.478 mortos, 188.068 casos), França (17.920 mortos, 165.027 casos), Reino Unido (13.729 mortos, 103.093 casos) e Bélgica (5.163 mortos, 36.138 casos).

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.