Segundo o Ministério da Saúde indiano, o país diagnosticou mais 56.282 infeções com o novo coronavírus nas últimas 24 horas, com o total desde o início da pandemia perto de atingir os 2 milhões, além de 40.699 mortes. Destas, 20 mil ocorreram nos últimos 30 dias.

Maharashtra, Tamil Nadu e Andhra Pradesh são os estados indianos mais atingidos pela pandemia.

Goa, um dos estados indianos menos afetados, registou nas últimas 24 horas um novo máximo de 348 novas infeções e quatro mortes, elevando o total desde o início da pandemia para 7.422 casos e 64 mortos, no mesmo dia em que médicos locais alertaram para o elevado número de óbitos na antiga colónia portuguesa.

O responsável do departamento de Goa da Associação Médica Indiana (IMA, na sigla em inglês), Samuel Arawattigi, manifestou hoje preocupação com o aumento das mortes na antiga colónia portuguesa, que atribuiu à falta de especialistas e de equipamento médico no hospital de Margão, de acordo com um comunicado da IMA, citado pelo jornal em língua inglesa Navhind Times.

Um estudo da Universidade de Stanford divulgado esta semana também colocou Goa entre os piores dez estados na Índia a notificar casos de COVID-19.

A análise dos investigadores, a que a Lusa teve acesso, avaliou a qualidade dos dados recolhidos e dos mecanismos de notificação de casos de COVID-19 em 29 estados indianos, em parâmetros como acessibilidade e disponibilidade dos dados e respeito pela privacidade da informação recolhida.

Goa registou uma pontuação total de 0,21, numa avaliação de 0 (fraco) a 1 (bom), ficando ligeiramente abaixo da média, de 0,26, numa lista em que o estado mais bem classificado é Karnakata, com 0,61. Os estados de Uttar Pradesh e Bihar, ambos com zero, ficaram nos piores lugares.

O estudo alertou para a “forte disparidade na qualidade dos relatórios de dados da COVID-19″ nos vários estados da Índia, com os investigadores a defender a criação de “uma agência central para monitorizar e auditar a qualidade da informação fornecida pelos estados”.

A Índia é o terceiro país do mundo com maior número de infetados, depois dos Estados Unidos e Brasil.

A pandemia de COVID-19 já provocou mais de 701 mil mortos e infetou mais de 18,5 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência de notícias France-Presse (AFP).

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.