De acordo com o boletim diário da Direção-geral da Saúde (DGS), registaram-se até ao momento 100 mortes por COVID-19 em Portugal, mais 24 que ontem, e existem 5170 casos confirmados da infeção em território nacional, mais 902 casos, um aumento de 21,1% face ao dia anterior.

Relativamente a sexta-feira, em que se registaram 76 mortes, hoje observou-se um aumento de 31,5%. A taxa de letalidade está em 1,9%.

Há, ao todo, 43 casos de doentes recuperados em Portugal, o mesmo número que na sexta-feira, todos no continente: 16 estão no Norte, 10 no Centro e 17 em Lisboa e Vale do Tejo.

COVID-19 em Portugal: 100 mortos, 5170 infetados e 43 recuperados
Boletim Epidemiológico divulgado pela DGS créditos: DGS

Segundo o documento da DGS divulgado, pelo menos 4.938 pessoas estão ainda a aguardar o resultado laboratorial e 19.927 cidadãos permanecem em vigilância pelas autoridades.

Os dados do boletim indicam que dos casos confirmados de infeção por SARS-COV-2, 418 estão internados, dos quais 89 em unidades de cuidados intensivos.

Quando ao número de mortes, 44 ocorreram no Norte, 28 no Centro, 27 em Lisboa e 1 no Algarve. Não há registo de qualquer óbito nos arquipélagos da Madeira e Açores, nem no Alentejo.

Segundo o boletim da DGS divulgado hoje, desde 1 de janeiro, já se registaram até ao momento em Portugal 32.754 casos suspeitos e 22.646 não confirmados de COVID-19.

A região Norte é aquela que regista o maior número de casos confirmados da infeção (3.035), seguida de Lisboa e Vale do Tejo (1.287), Centro (647), Algarve (106) e Alentejo (34).

O boletim da DGS indica que a Madeira apresenta 31 casos positivos e os Açores 30. O boletim não refere casos de doentes com residência fora do país, que ontem eram 21.

COVID-19 em Portugal: 100 mortos, 5170 infetados e 43 recuperados
Boletim Epidemiológico divulgado pela DGS créditos: DGS

Parte (41%%) dos pacientes apresenta febre, tosse (49%), sendo que 28% registaram também dores musculares, 19% tiveram fraqueza generalizada, 15% dificuldade respiratória e 23% cefaleia. No entanto, só existe informação reportada sobre sintomas em 83% dos casos confirmados.

Os óbitos são de pessoas com 40 anos ou mais, indica o boletim epidemiológico divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS). A maioria das mortes (58) ocorreram em pessoas com mais de 80 anos. Há ainda 21 mortes no grupo etário dos 70-79 anos, 14 óbitos entre os 60-69 anos, 5 entre os 50-59 anos e 2 entre os 40-49 anos.

Por sexo, o género com mais óbitos é o masculino com 65 mortes. No sexo feminino há registo de 35 fatalidades.

COVID-19 em Portugal: 100 mortos, 5170 infetados e 43 recuperados
Boletim Epidemiológico divulgado pela DGS créditos: DGS

Quanto à faixa etária com mais casos, esta situa-se entre os 40-49 anos com 1002 casos (434 são homens e 568 são mulheres).

Existem 330 casos importados em Portugal oriundos de vários países: há 105 casos que resultam da importação do vírus de Espanha, 72 de França, 21 de Itália, 22 da Suíça, 27 do Reino Unido, 7 dos Países Baixos, 8 do Brasil, 13 de Andorra, 4 da Áustria, 17 dos Emirados Árabes Unidos, 3 da Índia, 7 da Alemanha, 5 da Bélgica, 2 dos Estados Unidos, 2 da Argentina, 1 da Alemanha/Áustria, 1 do Irão, 2 do Egito, 1 da Dinamarca, 1 da Jamaica, 1 das Maldivas, 1 da Venezuela, 1 de Cuba, 1 de Israel, 1 do Luxemburgo, 1 da Polónia, 1 do Qatar, 1 da República Checa e 1 da Tailândia.

COVID-19 em Portugal: 100 mortos, 5170 infetados e 43 recuperados
Boletim Epidemiológico divulgado pela DGS créditos: DGS

Os três concelhos com mais casos casos confirmados são Lisboa (366), Porto (343) e Vila Nova de Gaia (262), que manteve o mesmo número de ontem. A informação reportada por concelho é relativa a 75% dos casos confirmados.

Portugal, onde o primeiro caso foi confirmado a 2 de março e que está em estado de emergência até quinta-feira, entrou já na terceira e mais grave fase de resposta à doença COVID-19 (Fase de Mitigação), ativada quando há transmissão local, em ambiente fechado, e/ou transmissão comunitária.

Mapa interativo com casos e mortes

Se não conseguir ver o mapa desenvolvido pela Universidade Johns Hopkins, siga para este link.

Os países mais afetados

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da COVID-19, já infetou cerca de 572 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 26.500. Dos casos de infeção, pelo menos 124.400 são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Mais de 600.000 casos do novo coronavírus foram oficialmente declarados em todo o mundo desde o início da pandemia, estando confirmadas quase 29 mil mortes, segundo um levantamento feito hoje pela agência de notícias AFP de fontes oficiais.

Pelo menos 605.010 casos de infeção, dos quais resultaram 27.982 mortes, foram detetados em 183 países e territórios, em particular nos Estados Unidos (104.837 casos, dos quais 1.711 mortes), na Itália (86.498), o país mais atingido em número de mortes (9.134), e na China (81.394 casos, dos quais 3.295 mortos), o foco inicial do contágio.

pandemia de COVID-19 continua a alastrar em Espanha. o país registou um total de 72.248 casos de COVID-19, dos quais 5.690 morreram e 9.375 tiveram alta e são considerados como curados.

A Alemanha contabilizou 6.294 novos casos diagnosticados nas últimas 24 horas, registando, no total, 48.582 pacientes infetados e 325 vítimas mortais, segundo dados divulgados hoje pelo Instituto Robert Koch.

Os Estados Unidos tornaram-se quinta-feira o país com mais casos de infeções no mundo, ultrapassando Itália e a China, com  mais de 100 mil casos.

Vários países adotaram medidas excecionais, como a declaração do estado de emergência, o regime de quarentena obrigatório ou o encerramento de fronteiras.

Portugal, onde os primeiros casos confirmados foram registados no dia 02 de março, encontra-se em estado de emergência desde as 00:00 de 19 de março e até às 23:59 de 02 de abril, embora o Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, tenha já admitido prolongar o mesmo.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.