Com quatro vacinas aprovadas, a China irá vacinar 900 milhões a mil milhões de pessoas, disse Gao Fu, durante uma entrevista à televisão oficial chinesa CGTN.

“Esperamos que a China possa liderar a imunidade de grupo no mundo”, afirmou.

A imunidade de grupo ocorre quando uma fatia significativa da população atinge a imunidade, por via da vacinação ou por ter sido infetada, de forma a parar a disseminação incontrolada de uma doença infeciosa como a covid-19.

A China administrou 52,5 milhões de doses de vacinas contra a covid-19 até ao fim de fevereiro.

No entanto, especialistas em saúde do Governo já reconheceram que a China tem sido mais lenta no processo de vacinação do que muitos outros países, incluindo os Estados Unidos, tendo distribuído cerca de 10 vezes mais doses de vacina por outros países do que as que distribuiu internamente.

Embora as vacinações de emergência na China estejam em andamento pelo menos desde o verão, o país demorou a anunciar se tinha planos de atingir a imunidade coletiva.

As autoridades chinesas aprovaram quatro vacinas contra a covid-19 de fabrico nacional, duas da empresa detida pelo Estado Sinopharm, uma da Sinovac e outra da CanSino, embora para nenhuma delas tenham sido publicamente divulgados os dados sobre a quarta fase de desenvolvimento.

O país tem atualmente 17 vacinas candidatas a ensaios clínicos.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.