Com pranchas debaixo dos braços, dezenas de surfistas atiraram-se para as ondas antes mesmo da reabertura oficial da praia às 07:00, horário local (22:00 de segunda-feira em Lisboa), cinco semanas após o seu encerramento pelas autoridades.

Os surfistas e nadadores mais disciplinados alinharam-se antes pacientemente para aplaudir os trabalhadores municipais que levantaram as barreiras para permitir o acesso à água.

Se muitas pessoas mergulharam no mar, a areia branca permaneceu deserta.

Neste momento, é proibido apanhar banhos de sol, a fim de cumprir as medidas de distanciamento social.

As placas “surf and go” pedem que os visitantes não se demorem após o término da atividade aquática.

A reabertura de Bondi e das praias vizinhas ocorre num momento em que vários estados australianos começam a relaxar lentamente as restrições, incentivados pela desaceleração no aumento do número de novos casos de covid-19 na Austrália.

As autoridades do estado de Nova Gales do Sul, estado mais populoso da Austrália e cuja capital é Sydney, declararam hoje que seguiriam algumas das iniciativas tomadas por outros estados.

A partir de sexta-feira, os seus moradores poderão receber dois visitantes por domicílio.

A primeira-ministra de Nova Gales do Sul, Gladys Berejiklian, exortou, no entanto, os seus cidadãos a serem responsáveis e a não correrem riscos.

“Não queremos ver os números subirem”, disse.

Gladys Berejiklian também alertou que a retomada de certas atividades, incluindo aulas nas escolas, poderia levar a uma aceleração do contágio com que o sistema de saúde não conseguirá lidar.

Por sua vez, a maioria dos visitantes da praia de Bondi parecia desfrutar do prazer, respeitando as medidas de distanciamento social.

“Eu já espero por isto há uma semana. Eu disse a mim mesma que às 7:30 estaria aqui, é realmente muito emocionante”, disse à agência de notícias AFP Diane Delaurens.

John Minto, a prancha debaixo do braço ao lado do filho, ficou feliz por reencontrar as ondas.

“O surf não está genial, mas não podemos reclamar hoje”, afirmou.

A Austrália registou cerca de 6.700 casos da doença covid-19, sendo 84 destes fatais, numa população de aproximadamente 25 milhões de pessoas.

O número de novos casos caiu significativamente desde a semana passada.

A nível global, segundo um balanço da agência de notícias AFP, a pandemia de covid-19 já provocou perto de 211 mil mortos e infetou mais de três milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Mais de 818 mil doentes foram considerados curados.

Em Portugal, morreram 928 pessoas das 24.027 confirmadas como infetadas, e há 1.357 casos recuperados, de acordo com a Direção-Geral da Saúde.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa 4,5 mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), encerraram o comércio não essencial e reduziram drasticamente o tráfego aéreo, paralisando setores inteiros da economia mundial.

Face a uma diminuição de novos doentes em cuidados intensivos e de contágios, alguns países começaram, entretanto, a desenvolver planos de redução do confinamento e em alguns casos, como Dinamarca, Áustria, Espanha ou Alemanha, a aliviar algumas das medidas.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.