Investigadores de todo o mundo trabalham para desenvolver tratamentos destinados a lutar contra a doença COVID-19, que emergiu em dezembro no gigante asiático.

"Várias equipes de investigação recorrem a diferentes técnicas para conceber uma possível vacina", afirmou o vice-ministro de Ciência e Tecnologia, Xu Nanping.

Recomendações da DGS

A DGS acompanha a situação da expansão do novo coronavírus e recomenda:

  • Em Portugal, caso apresente sintomas de doença respiratória e tenha viajado de uma área afetada pelo novo coronavírus, as autoridades aconselham a que contacte a Saúde 24 (808 24 24 24). Caso se dirija a uma unidade de saúde deve informar de imediato o segurança ou o administrativo.
  • Evitar o contacto próximo com pessoas que sofram de infeções respiratórias agudas; evitar o contacto próximo com quem tem febre ou tosse;
  • Lavar frequentemente as mãos, especialmente após contacto direto com pessoas doentes, com detergente, sabão ou soluções à base de álcool;
  • Lavar as mãos sempre que se assoar, espirrar ou tossir;
  • Evitar o contacto direito com animais vivos em mercados de áreas afetadas por surtos;
  • Adotar medidas de etiqueta respiratória: tapar o nariz e boca quando espirrar ou tossir (com lenço de papel ou com o braço, nunca com as mãos; deitar o lenço de papel no lixo);
  • Evitar o consumo de produtos de animais crus, sobretudo carne e ovos;
  • Seguir as recomendações das autoridades de saúde do país onde se encontra.

"A primeira deve ser submetida a testes clínicos até ao final de abril", avançou hoje em conferência de imprensa em Pequim.

Os cientistas chineses usam vários procedimentos para conseguir uma vacina, declarou o vice-diretor da Comissão Nacional de Saúde, Zeng Yixin. Entre estes métodos, estão o uso de um coronavírus inativo, o uso de engenharia genética para produzir proteínas que sirvam de antigénios, ou a modificação de vacinas antigripais, detalhou Zeng.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que seja necessário pelo menos um ano até obter um produto que se possa ser usado em larga escala.

"A vacina é algo para longo prazo, pois pode demorar até 12, ou 18 meses. Isto é no pior dos casos", declarou o seu diretor, Tedros Adhanom Ghebreyesus.

Cerca de 75.000 pessoas foram contaminadas na China continental. Deste total, mais de 2.200 morreram. Fora da China continental, houve mais de uma dezena de óbitos e 1.100 contágios em pelo menos 25 países.

Veja em baixo o mapa interativo com os casos de coronavírus confirmados até agora

Se não conseguir ver o mapa desenvolvido pela Universidade Johns Hopkins, siga para este link.

Em Portugal, já se registaram 12 casos suspeitos, mas nenhum se confirmou.

Segundo o Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças, há 45 casos confirmados na União Europeia e no Reino Unido.

Os vírus e os coronavírus: quais as diferenças?

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.