O Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da China elevou na sexta-feira o alerta para a possibilidade de o vírus ser importado de outros países e já desenvolveu um método de deteção e começou a instruir o pessoal médico, informou hoje o diário oficial China Daily.

Depois de a Organização Mundial de Saúde (OMS) ter advertido na quinta-feira que o Zika poderia afetar entre três e quatro milhões de pessoas na América em 2016, as autoridades chinesas anunciaram que vão cooperar e trocar informações com outros países para fazer frente aos riscos.

Os peritos chineses consideram pouco provável que o país asiático sofra um surto desta doença como o ocorrido no continente americano, dadas as adversas condições climáticas para a propagação do mosquito que transmite o vírus.

Leia também: 8 maneiras de se proteger contra o vírus Zika

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.