O texto foi aprovado com 44 votos a favor e 28 contra, dando uma vitória significativa ao governo do primeiro-ministro liberal, Justin Trudeau.

O governo exigiu, no entanto, que o suicídio assistido possa ser pedido apenas por adultos, em circunstâncias em que a morte seja "razoavelmente previsível".

O Senado pretendia que o projeto-lei permitisse o suicídio assistido a qualquer paciente com sofrimentos intoleráveis, mesmo que a sua vida não estivesse em perigo.

Leia tambémA eutanásia e o suicídio assistido: que países autorizam o quê?

O texto final não contemplou as recomendações de um comité parlamentar especial que tinha proposto ampliar a aplicação da lei a menores de idade ou a pessoas com problemas psicológicos.

"A lei estabelece o equilíbrio certo entre a autonomia pessoal para os que procuram acesso à assistência médica para morrer e a proteção das pessoas vulneráveis", afirmaram as ministras da Justiça, Jody Wilson-Raybould, e da Saúde, Jane Philpott, citadas pela agência de notícias France Presse.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.