Até agora, o Governo brasileiro havia autorizado essa dose apenas para pessoas com 50 anos ou mais, além de imunodeprimidos e trabalhadores da área da saúde.

Para as doses de reforço são recomendadas as vacinas da Pfizer, AstraZeneca ou Janssen, quatro meses após a aplicação do primeiro reforço.

O Ministério da Saúde brasileiro também apresentou mudanças para quem tomou o imunizante fabricado pela Janssen como primeira dose. Neste caso, brasileiros com mais de 18 anos poderão tomar uma terceira dose. Também foi libertada uma quarta dose para aqueles que têm mais de 40 anos.

A mudança no programa de vacinação no país sul-americano acontece num momento em que ocorre, após flexibilizações, um aumento no número de mortes e casos conhecidos no país provocados por variantes da Ómicron.

Nas últimas semanas alguns estados e municípios brasileiros voltarem a recomendar o uso de máscaras em locais fechados.

Segundo informações oficias divulgadas pelo Governo brasileiro, desde o início da pandemia em 2020 até domingo, o país totalizou mais de 31 milhões de casos e 669.065 mortes provocadas pela covid-19.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.