"Estamos a trabalhar para que o novo lar entre em funcionamento até final do ano. As obras de adaptação não são de grande dimensão. O projeto está praticamente concluído para ser enviado para apreciação das entidades competentes", afirmou hoje à Lusa o presidente da direção da Associação Portuguesa de Pais e Amigos do Cidadão Deficiente Mental (APPACDM) de Viana do Castelo, Luiz Costa.

De acordo com aquele responsável, que falava a propósito do protocolo de cedência da antiga escola, que vai ser celebrado, na próxima terça-feira entre a Câmara de Ponte de Lima e a APPACD a nova estrutura, atualmente "inexistente" naquele concelho, "é um velho anseio dos pais e encarregados de educação de crianças e jovens com deficiência".

"A APPACDM tem lares residenciais (que funcionam 365 dias por ano) e lares de apoio (apenas de segunda a sexta-feira) em sete dos dez concelhos do distrito de Viana do Castelo. A tendência será a de irmos dotando todos os concelhos com estas estruturas", explicou Luiz Costa.

O presidente da APPACDM de Viana adiantou que "ainda este ano serão celebrados novos protocolos com outros concelhos do Alto Minho com vista à futura abertura de mais lares".

O responsável disse ainda não poder avançar com o valor das obras de transformação da antiga escola primária em lar residencial, mas afirmou que "não será um investimento avultado". "Se conseguirmos financiamento de fundos comunitários, iremos candidatar o projeto mas não vamos fazer depender o avanço da empreitada desses apoios. A obra começará com fundos da associação", referiu.

Mais de 800 utentes

Com 43 anos de existência, a APPACDM tem, nas diversas estruturas espalhadas pelo Alto Minho, mais de 800 utentes. O orçamento anual da instituição ronda os seis milhões de euros, sendo que cerca de quatro milhões são para pagar os salários de 330 trabalhadores.

O presidente da Câmara de Ponte de Lima Victor Mendes disse tratar-se de uma estrutura "fundamental que vem suprimir carências e proporcionar condições de acompanhamento e integração social para pessoas com deficiência mental".

"A existência de espaços vocacionados para atividades ocupacionais e resposta social noturna são fundamentais para o desenvolvimento e qualidade de vida dessas populações e respetivas famílias", sustentou o autarca do CDS.

Victor Mendes sublinhou que a "inexistência de um lar residencial para pessoas com deficiência mental no concelho é grave, tanto mais que se regista um enorme défice de vagas em todo o distrito".

De acordo com o protocolo a celebrar, na próxima terça-feira, às 11.00, entre as duas instituições, "a Câmara de Ponte de Lima cede a utilização da antiga EB1 de Moreira do Lima, e a APPACDM realiza e suporta o investimento relativo às obras de beneficiação e adaptação do edifício".

"Pela cedência do imóvel não haverá lugar a pagamento de qualquer renda, sendo da responsabilidade da APPACDM o pagamento das despesas à utilização, funcionamento e manutenção do lar residencial com capacidade para, aproximadamente, 17 utentes", lê-se no documento.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.