Estas posições foram transmitidas por Mariana Vieira da Silva no final do Conselho de Ministros, numa conferência de imprensa em que foi questionada sobre quando é que o Governo tenciona marcar nova reunião com peritos, no Infarmed, em Lisboa, para analisar a evolução da pandemia em Portugal.

“A reunião do Infarmed que se realizou há duas semanas visou precisamente planear um conjunto de medidas que deviam vigorar até ao mês de janeiro”, respondeu a ministra de Estado e da Presidência.

Caso haja uma evolução do número de casos de covid-19 que desvie dos cenários apresentados pelos peritos, então, nessa situação, segundo Mariana Vieira da Silva, “o Governo não hesitará em agendar uma reunião”.

“Mas não está nenhuma reunião agendada, porque a reunião que já se realizou destinou-se a preparar todo este período até ao mês de janeiro”, justificou.

Já sobre as recentes declarações proferidas pela diretora geral da Saúde, Mariana Vieira da Silva frisou que, nessas mesmas declarações, Graça Freitas “referiu-se a uma duplicação de casos de covid-19 até ao Natal em termos de média de semana”.

“A média semanal é bastante inferior aos números de quarta-feira. Desde setembro que é muito claro aquilo que procuramos: Garantir a capacidade de resposta do Serviço Nacional de Saúde (SNS). É para isso que serve o relatório com as linhas vermelhas sobre a evolução da covid-19”, disse.

A ministra de Estado e da Presidência deixou depois, neste contexto, a seguinte mensagem: “Continuamos a funcionar num âmbito de tranquilidade no SNS. A nossa expectativa é que não se repita janeiro de 2021 em janeiro de 2022”, declarou.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.