O número de terapias alternativas disponíveis em Portugal não pára de aumentar.

Ar e água puros, alimentos biológicos, exercício físico e uma vida equilibrada são considerados pelos naturopatas como os factores essenciais da saúde e encarados como instrumentos para estimular o processo de auto-cura do organismo.


Acredita-se que um estilo de vida desequilibrado promove a acumulação de toxinas no organismo, perturbando o seu normal funcionamento e tornando o organismo mais susceptível ao surgimento de patologias. A naturopatia baseia-se em alterações ao nível da dieta, suplementos nutricionais, plantas medicinais, acupunctura, hidroterapia, massagem, entre outros.

Neste tipo de terapia, são aconselhados períodos de jejum, a restrição do consumo de álcool, sal, gorduras e açúcar e ingestão de alimentos integrais, assim como dietas especiais com vista à limpeza do intestino, pois defende-se que as toxinas aí acumuladas são responsáveis por diversas patologias.

O (pouco) que os investigadores científicos já descobriram

São escassas as investigações neste campo, existindo apenas alguns estudos sobre algumas plantas usadas neste tipo de terapia.

Um dos estudos, divulgados pelo National Center for Complementary and Alternative Medicine (NCCAM) constatou a ineficácia da echinacea no tratamento de constipações, ao passo que um ensaio clinico verificou que uma fórmula naturopata que combina a mesma planta com propolis e vitamina C poderá ser benéfico em caso
de dores de ouvidos associadas a otite.

Um outro extracto naturopata com propriedades anestésicas (indicada para os ouvidos) foi considerado eficaz e o mesmo se concluiu em relação a tabletes naturopatas
de arando, usadas como tratamento preventivo contra as infecções urinárias.


Fitoterapia

Tal como a acupuncutura, a fitoterapia é um ramo da Medicina Tradicional Chinesa.

Baseia-se na administração de fórmulas compostas entre três a quatro dezenas de plantas, sendo que «uma ou duas são para produzir o efeito terapêutico desejado e as restantes para eliminar os eventuais efeitos colaterais», descreve a Associação Portuguesa de Acupunctura e Disciplinas Associadas (APA-DA).

As fórmulas utilizadas diferem da medicação tradicional em relação ao
seu processo de fabricação, já que incluem poucas substâncias sintéticas.

Poucas certezas

A única certeza, à luz da investigação científica ocidental, é que existem tratamentos fitoterápicos que mostraram ser eficazes para quadros de inflamação, alterações gastrointestinais, asma, úlceras, ansiedade, dor ou insónia.

Texto: Nazaré Tocha

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.