A pergunta que dá o título a este pequeno artigo não é incomum. Muitas vezes, em consulta, sou confrontado com pacientes que, por um ou outro motivo, optaram por não realizar Reconstrução Mamária. Os principais motivos são a falta de informação médica, a falta de acesso a um Cirurgião Plástico ou a falta de empatia e/ou confiança no mesmo.

A Reconstrução Mamária após Cancro da Mama pode ser realizada na altura da cirurgia oncológica ou posteriormente. Esta decisão é uma decisão conjunta, tomada em consulta com o seu Cirurgião Plástico que acompanhará todo o processo e traçará o plano de tratamentos que mais se adequa à sua situação clínica.

Obviamente, e sabendo que a Cirurgia Oncológica é sempre prioritária em relação à reconstrução, surgem alguns medos: “Será que a reconstrução pode aumentar o risco de ter cancro da mama? Será que a cirurgia se torna mais longa e mais perigosa? Já ouvi dizer que a utilização de implantes está associada a doenças da mama”. Todos estes receios, associados a resultados menos bem conseguidos em cirurgias reconstrutivas há 20-30 anos, fazem com que paire uma nuvem negra no tema “Reconstrução Mamária”, numa altura e circunstância de vulnerabilidade para as pacientes.

Tentando responder de forma resumida a alguns destes mitos, não existe idade limite para realizar Reconstrução Mamária. É algo pessoal e que deve ser realizado quando a paciente se sentir confortável. Existem diversas técnicas que podem ser adaptadas a cada timing cirúrgico eleito. Na minha experiência profissional, já realizei reconstruções a pacientes com menos de 30 anos e com mais de 70 anos. Cada caso é gratificante na sua medida, e a importância da criação de uma mama tem um impacto psicológico e social tremendo, contribuindo em grande escala para a melhoria da qualidade de vida.

Existem técnicas cirúrgicas mais e menos intensas, todas elas associadas a riscos, ainda que, atendendo à evolução da Medicina e da Cirurgia Plástica, a maioria se encontre num intervalo de segurança com amplos e claros benefícios. As técnicas podem, e devem, ser adaptadas às pacientes. Embora a Reconstrução da Mama seja o objectivo em cada paciente, muitas das vezes a realização de técnicas mais simples em casos selecionados é o ideal, sendo que a satisfação das pacientes é na quase totalidade das pacientes garantida.

O benefício da Reconstrução Mamária é indiscutível. Ainda que muitas das marcas fiquem para sempre, estas são amenizadas e demonstrativas de uma luta ganha. O reflexo do espelho tem o poder de demonstrar uma patologia ou um processo vencedor, sendo que a Cirurgia Plástica tem o poder e o privilégio de ajudar as pacientes nesta remodelação corporal.

Um artigo do médico Rúben Malcata Nogueira, especialista em Cirurgia Plástica, Reconstrutiva e Estética.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.