Em 2018, a dupla de autores, Virgílio Nogueiro Gomes, gastrónomo e docente, e Isabel Zibaia Rafael, apaixonada pela cozinha, bloguer, formadora, ofereciam aos escaparates o livro “Petiscos e Miudezas à Portuguesa”, uma viagem pelas carnes desmerecidas e não aproveitadas. Agora, em 2019, a dupla volta ao convívio com os petiscos e faz-se ao mar, mais precisamente à costa portuguesa e aos rios.

Miudezas, só de nome, pois de resto são grandes carnes e de boa linhagem à mesa
Miudezas, só de nome, pois de resto são grandes carnes e de boa linhagem à mesa
Ver artigo

Em “Petiscos do Rio e do Mar”, uma edição Marcador, com lançamento a 3 de abril, vamos encontrar um périplo por mais de 40 receitas petisqueiras e muito portuguesas. Virgílio e Isabel apresentam-nos os Carapaus alimados, os Choquinhos na frigideira, o Fígado de tamboril com Moscatel e maçã caramelizada, os Filetes de truta em escabeche com presunto, as Navalhas no tacho com coentros, a Raia alhada com batata-doce assada e cebola frita.

Isto citando apenas algumas das propostas presentes neste título de 120 páginas que “não sendo um inventário exaustivo de todas as maravilhas vindas das águas, foram selecionadas aquelas que serão mais facilmente adquiridas. E tem um receituário de fácil confeção, sendo uma ajuda para aqueles com mais temor de ir para a cozinha”, lemos na apresentação da obra.

pestiscos da terra e do mar
créditos: @Pestiscos da Terra e do Mar

Um livro que nos chega às mãos numa época em que, como sublinham os autores, “o peixe passou a ser alvo de preferência nos hábitos alimentares […] deixou de ser um castigo ou uma penitência para os dias de jejum e abstinência”.

Uma obra onde os autores não esquecem os cuidados na escolha do bom peixe, “ir a um mercado tradicional e conversar com quem nos vende”, como também nos recordam a tradição de consumo de peixes de rio, aos quais “dá-se pouca importância”. “Infelizmente, aparecem cada vez menos nos mercados tradicionais. Também já não há os vendedores de porta a porta que nos traziam os barbos, bogas, carpas, fataças, lúcios, trutas…”.

No seu “Petiscos do Rio e do Mar”, Virgílio e Isabel não esquecem os antigos processos para conservação mais longa, como o escabeche: “de facto o peixe mantido em molho de escabeche fica muito melhor”; como também destacam espécies que nos são gratas, como a Lampreia, o Bacalhau, a Sardinha, o Carapau, assim como moluscos de bom petisco, como o choco, as lulas, o polvo e os crustáceos que nos fazem boa companhia no prato, como o berbigão, a amêijoa ou a lambujinha.

Um título que recorda os muitos adágios populares que trazem a nossa fauna marinha para as conversas correntes do quotidiano. Dois exemplos, “a mulher e o peixe do mar são difíceis de apanhar”, “para quem é bacalhau basta”.

Virgílio Nogueiro Gomes, de origem transmontana evidenciada, os seus textos são marcados por uma linguagem de fácil entendimento. Percorrendo uma inventariação das tradições portuguesas à mesa, continua a escrever de forma descontraída e prática. Das aulas de história da alimentação às várias palestras que profere, ainda tem um tempo especial para as suas crónicas de curiosidades em viagem ou aspetos interessantes sobre os hábitos alimentares.

Isabel Zibaia Rafael, nascida no Ribatejo, criou em 2006 o blogue “Conco Quartos de Laranja” onde escreve sobre comida e coisas boas da vida. Promove regularmente workshops de cozinha, em Lisboa e no Porto, e realiza formações em cozinha. Desenvolve receitas para marcas, colabora com revistas e programas de televisão nacionais.

A cozinha portuguesa é sempre o seu ponto de partida, mas procura também incluir nas suas receitas influências de outras cozinhas e de outras referências, sejam elas de viagens ou de leituras.

“Petiscos do Rio e do Mar”, chega aos escaparates com o preço de 15,50 euros.

Newsletter

Receba o melhor do SAPO Lifestyle diariamente no seu email.

Notificações

Os temas mais inspiradores e atuais estão nas notificações do SAPO Lifestyle.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.