A relação dos Portugueses com o bacalhau é uma história com centenas de anos, vista por muitos como “estranha”. Tendo uma costa de centenas de quilómetros que lhe assegura peixe fresco, o povo luso mantém uma predilecção, para muitos inexplicável, por este peixe seco e salgado – que encontrou 1001 maneiras diferentes de confecionar. Desde o tempo dos vikings, no século XIV, que se começou a salgar bacalhau, e desde a Idade Média que este começou a ser consumido em Portugal (e pescado nos mares da Terra Nova pelos Lusitanos). Hoje, Portugal continua a ser o país do mundo que mais consome bacalhau salgado.

De então para cá, muito se evoluiu na forma de fazer e servir o bacalhau – e o chefe de cozinha Diogo Rocha, que o serve desde a primeira carta que criou para o Mesa de Lemos, em 2014, que o diga. Esse é o tema do seu último livro, que elege o “fiel amigo” para o tornar mais apelativo às gerações mais novas que ainda torcem o nariz quando os pais informam que o jantar é bacalhau. O livro “Mãe, Hoje é Bacalhau à Chef Diogo Rocha” (Casa das Letras), dedicado a Maria de Lourdes Modesto, apresenta 30 receitas de bacalhau, organizadas por três graus de dificuldade, em que se incluem receitas mais acessíveis para massas e molhos, e algumas actividades divertidas para os mais novos.

Para que ninguém fique em “águas de bacalhau”, o chefe de cozinha Diogo Rocha dedica novo livro ao “fiel amigo”
créditos: Casa das Letras

Entre as receitas que encontramos na presente obra, refiram-se a Tarte de bacalhau, a Pizza de bacalhau, tomate e manjericão, o Hambúrguer de bacalhau e tomate, os Crepes de bacalhau, os Cornetos de bacalhau, o Bacalhau em cocotte e os Ovos mexidos com bacalhau e espargos. Não faltam capítulos dedicados à preparação de massas-base para algumas das receitas, assim como molhos.

Mais do que receitas, o novo livro de Diogo Rocha apresenta-nos conselhos para bem escolher o “fiel amigo” e o preparar, assim como um périplo às origens da afeição dos portugueses pelo peixe das águas frias do Atlântico Norte.

Este peixe que é um ícone da gastronomia portuguesa, encontra-se agora nas páginas deste livro, patrocinado pela Lugrade – empresa que reúne o amor de duas famílias, Lucas e Grade, em torno do bacalhau e do sonho de trazer aos portugueses o melhor bacalhau do mundo. Na obra, Tobias, o membro mais novo da família Lugrade, ajuda o Chef Diogo Rocha a despertar o interesse dos mais novos a cozinhar com bacalhau, a experimentar receitas e a atribuir pontuações a cada uma delas, bem como a serem criativos e inventivos com as suas famílias.

 “O bacalhau é um daqueles produtos que melhor nos representa como povo, com momentos familiares e de celebração à volta do seu consumo e preparação. O seu simbolismo e versatilidade entusiasma-me como cozinheiro, remetendo-me sempre para Portugal e para óptimos momentos passados com a minha família”, afirma Diogo Rocha, chefe do Mesa de Lemos, em Viseu.

Depois do livro “Hoje, Diogo Rocha” (2016) e “Queijaria do Chef” (2019), um guia sobre queijos portugueses, o bacalhau é o senhor que se segue nos produtos eleitos por Diogo Rocha e o Fotografo Mário Ambrózio/RawStudio.

O livro chega aos escaparates com o preço de 14,90 euros.

Um bocadinho de gossip por dia, nem sabe o bem que lhe fazia.

Subscreva a newsletter do SAPO Lifestyle.

Os temas mais inspiradores e atuais!

Ative as notificações do SAPO Lifestyle.

Não perca as últimas tendências!

Siga o SAPO nas redes sociais. Use a #SAPOlifestyle nas suas publicações.